Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2015

Guarda-roupa X Estilo

Não sei vocês, mas eu amo comprar roupas novas. E também amo guarda-roupa extremamente organizado, o que acaba sendo difícil de manter quando ele está cheio demais.
Volta e meia preciso dar uma geral, excluir o excedente, o que já não serve tão bem, o que eu não gosto mais, o que não faz o olho brilhar.
E hoje fiz isso. Sinto um alívio tão grande ao ver que as roupas já não estão mais apertadas no varão de cabides, que as gavetas estão bem organizadas e com tudo visível, é uma delícia.

Mas o mais interessante hoje foi que minha irmã me ajudou na triagem e para algumas peças ela falava "Isso é totalmente a sua cara!" e para outras "Isso não é você". E ela estava sempre certa!
Como é que pode? Alguém de fora percebe melhor meu estilo do que eu mesma? Sim, porque as roupas que não conversavam mais comigo foram compradas um dia em que as achei ótimas.

Percebi que as revistas e vitrines me levam a esse erro. A peça está tão linda na foto ou na manequim que esqueço de p…

Workshop Desconstrua a Moda e Construa seu Estilo

Sábado tivemos o workshop "Desconstrua a moda e construa seu Estilo" da Ana Soares e da Alyce Takai. Foram quatro horas de informação e, se durasse mais quatro tenho certeza que todo mundo estaria lá firme, assistindo com gosto!
Excelente. Não há outra palavra para descrever.
O workshop começou com o assunto desconstrução da moda. Quem palestrou sobre isso foi a Alyce, que trabalha em fashion marketing com foco em posicionamento de marcas.
Ela nos contou como as imagens das campanhas de marketing são estudadas para nos impactar e nos apresentar uma visão idealizada que, ao olharmos, passamos a aspirar. A forma mais fácil de "parecer" aquela imagem? Comprando exatamente o produto anunciado. Viu só?  ;)
Ela nos alertou de várias estratégias usadas pelo comércio para nos fisgar e insistiu para olharmos além das imagens, sempre focando em nós mesmas e nos tornando nossa própria referência.
Achei sua exposição claríssima e o tema de total importância, ainda mais visto…

Links lindos da semana #4

Écharpe emagrece
Como fazer do uso de lenço/écharpe um aliado para aparentar visualmente uma silhueta mais fina. Ótima dica para o friozinho que nos espera em breve! Link

Valorize seus pontos fortes Um vídeo curtinho (um minuto e meio) de Style Solution: Como valorizar suas melhores características físicas, enfocando cintura, pernas e ombros. [em inglês] Link

Suporte aos negócios junto a público feminino
Empresas que têm produtos que interessam ao público feminino agora têm um novo aliado: o Think Eva é uma consultoria 'cuja missão é dar suporte aos negócios "que queiram criar diálogos mais engajados e respeitosos com o público feminino".' Muito boa ideia de um trio de mulheres que abriram, assim, um novo nicho de mercado. Link

Aquilo que ninguém conta
Texto lindo sobre morar sozinho. Escrito por uma moça de uns 20 anos -- logo, não exatamente para nós, entas, mas para entendermos nossos filhos na busca por uma vida independente. Link

E um vídeo com lenços incríveis da…

Kimono do bem

Com ontem falei mal do poncho [#foraponcho] hoje vou mostrar uma opção que achei que ficou boa para mim, de acordo com toda minha altura e magreza (só que não!).
Esse é o kimono de seda que comprei na Animale. Tem um tom de laranja bem aberto, quase amarelo, com florzinhas de diversas cores frias e barrado em preto e cinza. Como ele é bastante decotado, coloquei uma regata segunda-pele por baixo.
Tirando a dificuldade para me servir à mesa (manga grande e comprida), ele é bem gostoso de usar.

Por enquanto usei com base inteira preta, vou precisar pensar bastante para conseguir outra combinação para ele, que já tem tantas cores e informações. E desta vez não coloquei colar, só anéis de pulseira (está escondida no braço abaixado).

O que vocês acharam? Aprovaram? Ideias para novas combinações?  Campanha #ajudeablogueira  ;D

Você vai aderir à Pantacourt?

O que vocês acharam da pantalona cropped (bermuda comprida?) nomeada pantacourt? Eu confesso que fiquei animada com a novidade para este Inverno. Afinal, temos dias em que não são tão frios assim, que dá para sair com uma peça mais leve. E ela tem a vantagem de ter uma cara quente, diferente das saias rodadas e florais que temos no armário para o Verão.
Olhem só esta, com colete e o nosso velho black&white. Não está linda?
Muito se discutiu hoje, em diversos blogs, sobre a falta de novidades na moda, sobre o mais do mesmo. Engraçado que não sinto isso. Acho que temos algumas coisas novas e algumas ideias legais para reviver os anos 70'. É bom quando dá para você continuar usando seu guarda-roupa sem ter que fazer uma intervenção fashion radical, não é?
Meu medo, sobre a pantacourt, é que não fique bem em mim -- vou ter que experimentar com olhos críticos antes de aderir à peça. Sabe como é, 1,60 de altura e com sobrepeso, não é tudo que veste bem.

Aliás, vai aqui uma dica:quer…

Não está fácil...

Entrei numa fase de ler blogs de minimalismo e admirar esse estilo de vida que tem o suficiente, mas não o exagero.
Hoje em dia é fácil ter excesso de itens no guarda-roupa: as fast fashion nos brindam com várias coleções especiais interessantes ao longo do ano e, além disso, rotineiramente com as últimas novidades da moda. Se formos atrás das novidades, compraremos roupas toda semana, correndo o risco de comprar modinha, acabamentos mal feitos, tecidos sem qualidade e ainda cópias e mais cópias descaradas.

Aí você pensa: "ao invés de ir às fast fashion vou optar por roupa boa; vou gastar mais, comprar menos, mas vou ter algo durável e de qualidade".
Gente, olho aberto. Nome, marca e preço não são mais certeza de boas peças. Tem lojas caras que estão com qualidade muito aquém do preço que elas cobram. Quer ver?
Ou alguém acha cabível comprar uma calça por R$697 (R$297 na promoção) com esse nível de acabamento? Nem para terem o cuidado básico de fazer a costura alinhar o dese…

Questionando hábitos de beleza

Vou lhes contar uma coisa: eu praticamente não uso maquilagem. Um delineador preto ou cinza, e só. Sempre fui assim, mesmo sabendo que uma base corretiva e um alongador de cílios me favoreceriam -- e muito.
Essa ideia de me mostrar o mais natural possível foi reação a uma ocasião, ainda criança, em que vi minha mãe tirar a maquilagem e se tornar uma pessoa completamente diferente. Em repúdio àquilo, que me pareceu uma farsa, eu me comprometi a ser sempre muito verdadeira com minha imagem.

O clipe da música "Try" da cantora norte-americana Colbie Caillat questiona exatamente isso: o quanto usamos recursos externos e compramos para parecer bem, para sermos aceitas.
"Colbie disse para a revista Cosmopolitan que a ideia da música surgiu da maneira como ela mesma se sentia. “Eu fui para o estúdio de gravação com Kenneth Edmonds e contei para ele que estava sob muito pressão para ser alguém que eu não era, tanto musicalmente quanto fisicamente. Ele disse ‘escreva exatamente o…

O quanto gastar em roupas

De acordo com o planejador financeiro Pete Dunn (link), você deve gastar em roupas somente 5% de seu orçamento mensal.
Por exemplo: se você ganha R$1.000/mês, só deveria gastar R$50 em roupas, mensalmente. Se ganhar R$5.000 = R$250 / e se seu orçamento mensal for de R$10.000 pode gastar R$500.
Entendo o argumento conservativo, a ideia é gastar de forma equilibrada e lógica para se precaver contra dívidas e ainda fazer uma poupança.

No entanto, isso é difícil de seguir, principalmente para as mulheres.
Tendo marido e dois filhos em casa percebo que as compras de vestuário deles são motivadas prioritariamente por necessidade. É raríssimo ocorrer de verem algo em vitrine e quererem por querer. Além disso, podem usar praticamente as mesmas roupas todos os dias que ninguém repara: vemos que estão com uma camisa e uma calça social, nada mais.

Mulheres têm a chance de usar peças diferentes todos os dias. Mas isso vem com um senão: nossa própria cobrança de termos um guarda-roupa bem sortido …

Dockside vermelho

Tenho fixação por um tom de vermelho queimado, quase carmim: acho lindo e, tudo que vejo desse tom, quero comprar. Já tive malhas de lã e camisetas, mas nunca sapatos.

Estava passando em frente à My Shoes e naquela vitrine vazada deles, onde os sapatos ficam ao alcance da mão, vi um dockside que aparentemente era do tom adorado. Agarrei-o do corredor, por fora da loja mesmo, rsrs.

Daí entrei, provei e... perfeito!
De nobuck, macio e gostoso nos pés. De início fiquei meio apreensiva com o solado e cordões brancos, mas já acostumei.
Fica lindo e fácil de usar com jeans. Por exemplo? Imagine o clássico bleu + blanc + rouge: jeans, camiseta listrada em branco e azul, o ponto vermelho sendo o sapato. <3

Custou R$199 e tem em várias cores:
O que comprei eles chamam de bordô. Gostei demais do chumbo e do roxo, porém acho que o mais usável de todos é o havana. Neste momento de revival do boho, em que todos os acessórios são de camurça em cor caramelo, seria uma compra acertada. Se você go…

Links lindos da semana #3

A incrível moda da China
O MET - Metropolitan Museum of Art de NYC - disponibiliza em seu site fotos maravilhosas da exposição "China Through the Looking Glass" que começará em maio próximo. Quem gosta de moda não pode deixar de ver. Link

Moda mandando na nossa vida
Esse texto eu gostaria de ter escrito, é uma reflexão super pertinente. E, como sempre, foi trabalhado da forma linda e com a delicadeza que é peculiar à Cris Guerra. Link

Desânimo com o mundo dos blogs
A Thereza Chammas levantou uma questão super pertinente sobre os blogs atuais. Muitos que antes eram interessantes e inspirados cresceram e estão meramente formais e desanimados. E outros são criados todos os dias falando mais do mesmo. Blog é um veículo muito legal, só precisa ser levado com responsabilidade e alguma criatividade. E menos publieditorial impessoal [#sóacho]. Link

Superação
Uma não-atleta de carteirinha conta como treinou e passou pelo Ironman 70.3, "também conhecido como meio Ironman, uma pr…

O desconforto da moda

Um fotógrafo americano, intrigado com as marcas deixadas pelas roupas no corpo de suas namoradas, resolveu fazer o ensaio "Impression", mostrando a prova visual do desconforto a que mulheres se submetem resignadamente.
O resultado é uma série de fotos impressionantes que mostram o quanto desrespeitamos nosso corpo em prol da beleza e da moda.
 Sandálias e sapatos são clássicos do desconforto feminino. Para repensar se algo assim vale a pena...  Calça tipo legging extremamente apertada: como nosso corpo respira nessa situação? Marcas de sutiã: acho que destas poucas de nós se livram...
Justin Bartels diz querer causar reflexão com seu ensaio, de forma que mais mulheres falem sobre o incômodo da moda, por fim atingindo empresas que possam pensar em tecidos mais macios.

Interessante o fato de ter sido a visão de um homem a levantar a questão do desconforto a que as mulheres se submetem sem maiores ponderações.
Por outro lado, não consigo deixar de pensar que para quem gosta de m…

Coleção Andrea Marques para C&A

A grife Andrea Marques firmou novamente parceria com a CeA e sua coleção chegará às lojas selecionadas dia 07 de abril próximo. Só li elogios à primeira edição dessa parceria (de 2012) e por isso estão todos animados querendo crer que esta segunda edição será tão boa quanto a primeira.
Tenho minhas ressalvas a coleções de fast fashion. Primeiro quanto à qualidade do tecido e acabamento, segundo o receio de usar algo que uma quantidade enorme de pessoas também comprou. As experiências "par de vasos" são terríveis, rsrs.

No entanto, como há modelos bem lindos e estampas desenvolvidas especialmente para essa cápsula, creio que valerá dar uma boa olhada nas lojas.
 Gostei demais desse body branco e preto xadrez, uma estampa simples mas que tem muita presença.  A blusinha de abacaxis, assim como a xadrez preto e magenta também me interessaram.
 O blazer branco e preto é diferente de pode funcionar bem -- a experimentar. A bata (vestido?) tem estampa de costela de adão em azul pro…

Experimentando: na Le Lis Blanc

Há incontáveis blogs de "look do dia", porém as autoras são jovens e têm o corpo perfeito característico da pouca idade. Aí você abre o post para se inspirar e encontra: minissaias usadas com sandálias gladiadoras ou top cropped com bota over the knee. Resultado: zero de inspiração para nós, entas.

Aqui, como este blog é voltado para minha faixa etária (+40/50), resolvi postar peças que experimentei ou comprei: uma enta real, com corpo sem retoques e peças que existem nas grandes lojas. Não é look do dia, é um "experimentando". Espero que gostem. :)

Hoje aproveitei a tarde livre para ver o que tinha de novo na Le Lis Blanc. Já tive meu momento de amor pela marca mas, ultimamente, não tenho gostado muito das roupas de lá: há um exagero de peças de poliéster e, apesar disso, os preços continuam nas alturas.
Enfim, separei para provar duas camisetas e uma jaqueta. Queridas entas, vamos ver?

Esta camiseta apareceu no catálogo e eu estava curiosa para vesti-la. Achei …

Contra a magreza extrema

Ótima notícia: a França está empenhada em aprovar uma lei que exige que as modelos tenham no mínimo 18 de IMC. Sim, é pouco, é o limite mínimo -- menos de 18 se configura desnutrição. E, convenhamos, muitas manecas parecem estar abaixo disso.
Alguns países já têm leis que proíbem modelos magras demais de serem contratadas por agências para desfiles e propagandas. A França se juntará à Espanha, Bélgica, Itália e Israel nessa medida. "O projeto de lei também propõem penalidades para qualquer publicidade que possa ser vista como incentivo à magreza extrema, em especial sites pró-anorexia, que glamourizam um padrão prejudicial à saúde." [fonte aqui]
Por que isso nos importa?  Porque muitas vezes nos espelhamos nas passarelas para nossa definição de beleza e a mostra de excessiva magreza pode induzir jovens a perseguirem essa estética, agravando o enorme número de vítimas de anorexia. Atualmente, são entre 30 e 40 mil pessoas sofrendo de anorexia na França, a maioria adolescente…

Viva também offline

Nossa vida tem estado cada vez mais dependente da tecnologia ao alcance dos dedos. Quem consegue se imaginar sem celular, hoje em dia? Além da função óbvia de telefone, seu uso como conexão de pessoas via Facebook, Whatsapp, Twitter, etc., já é considerado um default.
No entanto, temos exagerado no seu uso. Ultimamente é comum ver pessoas em um grupo, em situação social -- almoço, passeio, etc. -- alheias, totalmente imersas em seus mundos digitais, cada uma delas vivendo numa realidade diferente e ninguém efetivamente presencial ao encontro. Acho isso tão triste... E a coisa está tão disseminada que até fez surgir uma campanha para valorizar os momentos longe do aparelho: o projeto Not On App Store.  Dois brasileiros e uma sueca criaram esse projeto que consiste em colocar placas, disponíveis no site do trio, em situações, lugares ou em pessoas REAIS que fazem bem a você. Ou seja: chamar atenção para situações cotidianas e offline que trazem prazer, enfatizando que a vida não exis…

Pensando fora da caixa

Você acha fácil mudar, experimentar novas ideias? Como vai sua criatividade?
Estou bem triste em dizer que minha criatividade está mal. Vivo pesquisando e colhendo modelos diferentes de uso das roupas -- vamos focar aqui de coisas fáceis, ok? -- e, na hora H, acabo me vestindo do jeito padrão, mais comum de todos.

Por exemplo: estou com um moletom lindinho esperando o frio para ser estreado. Certeza que eu só havia pensado em uma forma de vesti-lo: com jeans, botinha ou mocassim.
Agora olha só, encontrei-o numa foto sendo usado com uma saia coral!
Lindo, e contra-intuitivo para mim...
Acho que quase todo o movimento que executo em moda é basicamente mental. Estou sempre olhando vitrines (físicas ou virtuais), avaliando novos modelos, me inteirando com as peças da vez. Porém, pouco faço em matéria de "mão-na-massa", de abrir guarda-roupa e experimentar novas combinações, novas possibilidades. Acrescento novas peças mas as uso de forma tradicional.

Essa foto foi um choque e r…

O inconsciente e as compras

Você consegue responder a questionários que avaliam sites, compras, seus gostos -- o que seja -- com total convicção nas respostas? Quando você opta por comprar a bolsa A em detrimento da bolsa B, isso é logicamente pensado ou é um impulso? O que a faz optar por um novo celular: necessidade ou o algo intangível que vem com a posse de um iPhone 6?
Este artigo sobre decisão de compra (link aqui) diz que 95% das informações que temos no cérebro são estocadas de maneira não consciente. E que, por isso, uma pessoa não tem como responder efetivamente o motivo de ter comprado um produto ou serviço.

Além disso, afirma que os níveis de neurotransmissores, os níveis hormonais, ciclo circadiano, genética, processos orgânicos, etc., interferem na escolha e decisão de compra.
Por um lado é assustador pensar no pouco controle que temos sobre nossas decisões de compra! Por outro, o artigo me aliviou da busca de lógica nas minhas escolhas, muitas das quais eu não entendo como se deram.

Como uma pesso…

Phenomen'Eyes Givenchy

Hoje entrei na Sephora despretensiosamente, mais para me sentir em NY do que para buscar algo, e saí de lá com uma máscara de olhos fantástica.
Gente, acreditem em mim: eu quase não tenho cílios. Eles são pequenos e caem só de você olhar mais feio para eles. Como havia visto enorme burburinho sobre a nova máscara da Benefit, que promete levantar e curvar cílios, inclusive dispensando necessidade de curvex, resolvi acreditar no santo milagreiro e lá fui eu para a bancada ganhar apresentação da novidade.

À princípio gostei, é lavável em água (acho isso essencial) e engrossou os fios.
No entanto, a moça que me atendeu pediu para mostrar outro produto e passou, no outro olho, a máscara Phenomen'Eyes da Givenchy, cujo grande diferencial é o pincel aplicador redondo e "descabeladinho".

Nossa, que diferença! Por ser pequeno e concentrado, ele espalhou o produto de forma muito mais eficaz. Os cílios ficaram maiores e mais destacados do que com o uso do Benefit.
Trouxe para ca…