Contra a magreza extrema


Ótima notícia: a França está empenhada em aprovar uma lei que exige que as modelos tenham no mínimo 18 de IMC. Sim, é pouco, é o limite mínimo -- menos de 18 se configura desnutrição. E, convenhamos, muitas manecas parecem estar abaixo disso.
Alguns países já têm leis que proíbem modelos magras demais de serem contratadas por agências para desfiles e propagandas. A França se juntará à Espanha, Bélgica, Itália e Israel nessa medida.
"O projeto de lei também propõem penalidades para qualquer publicidade que possa ser vista como incentivo à magreza extrema, em especial sites pró-anorexia, que glamourizam um padrão prejudicial à saúde." [fonte aqui]

Por que isso nos importa? 
Porque muitas vezes nos espelhamos nas passarelas para nossa definição de beleza e a mostra de excessiva magreza pode induzir jovens a perseguirem essa estética, agravando o enorme número de vítimas de anorexia. Atualmente, são entre 30 e 40 mil pessoas sofrendo de anorexia na França, a maioria adolescentes.

Ao exigir que as modelos tenham um nível mínimo de saúde pode-se começar uma conscientização de que o ideal estético precisa de boa alimentação e de cuidados de saúde, não de inanição.

Claro que as passarelas continuarão a querer pessoas magras e altas, é o atual requisito para essa profissão. O importante será que as meninas entendam que as modelos são assim porque têm uma genética favorável para essas características, e que se privar de alimento não é o caminho para transformarem-se em manequins.

É difícil, a situação de autoestima feminina hoje está muito comprometida pela publicidade. Mas vamos dando um passo de cada vez: esta iniciativa é louvável e esperamos que seja seguida por outras nações. Quem sabe em alguns anos (décadas?) as mulheres finalmente entendam que não têm que se espelhar em imagens externas e, sim, valorizar o que cada uma tem de único. 
#hope

Atualização de 19/março/15: o projeto acabou vetado pelo parlamento francês sob justificativa de que ele acabaria contribuindo para a discriminação contra profissionais baseada em seu peso. No entanto, está prevista uma emenda na esperança de que assim a lei possa passar quando for para votação novamente, ainda esse ano.

Atualização de 03/abril/15: O governo francês aprovou hoje o projeto de lei e agora modelos não poderão trabalhar se seus IMC (índice de massa corporal) estiverem abaixo do definido pelo Ministério da Saúde Francês. A pena para as agências e marcas que violarem isso é uma multa de 75 mil euros, além de até 6 meses de prisão.
Acredita-se que a adesão da França causará grande impacto no ramo e indústria, visto que o país tem grande influência em tudo que diz respeito à Moda.  BOA NOTÍCIA!!!

Comentários