O quanto gastar em roupas

De acordo com o planejador financeiro Pete Dunn (link), você deve gastar em roupas somente 5% de seu orçamento mensal.
Por exemplo: se você ganha R$1.000/mês, só deveria gastar R$50 em roupas, mensalmente. Se ganhar R$5.000 = R$250 / e se seu orçamento mensal for de R$10.000 pode gastar R$500.
Entendo o argumento conservativo, a ideia é gastar de forma equilibrada e lógica para se precaver contra dívidas e ainda fazer uma poupança.

No entanto, isso é difícil de seguir, principalmente para as mulheres.
Tendo marido e dois filhos em casa percebo que as compras de vestuário deles são motivadas prioritariamente por necessidade. É raríssimo ocorrer de verem algo em vitrine e quererem por querer. Além disso, podem usar praticamente as mesmas roupas todos os dias que ninguém repara: vemos que estão com uma camisa e uma calça social, nada mais.

Mulheres têm a chance de usar peças diferentes todos os dias. Mas isso vem com um senão: nossa própria cobrança de termos um guarda-roupa bem sortido e variado. Ou seja: que exige mais investimento.
Além disso, a moda nos têm como foco principal. De uma hora para outra um salto de sapato é considerado fora de moda e você se vê, mesmo sem entender porque, desejando loucamente o salto de sapato da vez.
Talvez por isso o comportamento -- que vejo em mim e em todas as amigas -- de estarmos sempre olhando as vitrines com interesse de que algo novo nos agrade e possa fazer parte do acervo: você anseia sempre por estar bem vestida, com diversas opções, e na moda.

Some a isso os custos de vestuário do país, com um agravante moral: como escolher?
Todos os argumentos lógicos indicam que se deve comprar uma roupa de qualidade, bem feita, bom tecido, que vá durar bastante. Isso seria o ideal, porém essa será uma peça cara, sem sombra de dúvidas.
E caso você opte por comprar barato já sabe: a durabilidade poderá estar comprometida, assim como o tecido utilizado, caimento, etc. E ainda tem o fator risco de estar contribuindo para que se perpetue a indústria de vestuário que se utiliza de mão de obra quase escrava para que as peças tenham esse custo acessível. [Leia aqui, é chocante].

No final, acho que essa conta não fecha: com os custos altíssimos que enfrentamos aqui, é difícil manter-se na moda com meros 5% do orçamento.
Em todo caso, vamos tentar?

Comentários