Vai dedetizar?

Assunto muito importante:
Nos últimos meses fui contactada três vezes por diferentes empresas dedetizadoras com propostas "especiais" de valores para unidades do edifício em que moro (cerca de R$300 em média).

Quando eu perguntava pela Autorização de Funcionamento da Empresa e pelo Certificado do Técnico Responsável, diziam que enviariam por email. E os emails vinham, mas só com preço, CNPJ, endereço. NUNCA com número de autorização Vigilância Sanitária nem número CRQ (Conselho Regional de Química - ou CRB, de Biologia). Nenhuma das três era regularizada!

Como a necessidade da checagem de documentos não é divulgada, as pessoas acabam contratando empresas irregulares para o serviço. Ou seja: irão gastar dinheiro e não haverá garantia de produto, de duração, de eficácia.
Não caiam nessa! Exijam a documentação que prova que a Dedetizadora é legalizada e usa produtos igualmente registrados e aprovados pela Anvisa.
Exija:
Licença de Funcionamento emitida pelo Órgão Sanitário do Estado ou Município. Aqui em SP é a Covisa. Atenção à data: o documento tem que ter data do ano vigente.
 
Responsável Técnico. Certificado de responsabilidade técnica também com data do ano vigente.

Comprovante de execução do serviço: documento que as empresas são obrigadas a fornecer ao final de cada serviço, assinado pelo técnico responsável onde conste pragas-alvo, nome e composição qualitativa do produto utilizado, as proporções e a quantidade total empregada, bem como o antídoto a ser utilizado no caso de acidente e telefone dos Centros de Controle de Intoxicação (CEATOX).

E por que todo esse alerta e essa preocupação? 
Porque produtos para dedetização tem alto potencial de serem nocivos à saúde e, se não contratamos uma empresa idônea, não sabemos o que eles irão borrifar na nossa casa!
Fiquem atentos e protejam suas famílias.

Comentários