Organizando inspirações

Ao ler assuntos que me interessam [moda e alguma literatura] inconscientemente percorro um caminho de escolha e guarda de tudo que gostei. Há tantas coisas interessantes na internet, tantas opiniões com ideias fantásticas a se seguir: iniciar um diário, usar camiseta branca, perseguir o encantamento no dia a dia, criar um movimento minimalista no guarda-roupa, etc.

Como se organizam todos esses conteúdos? Como fazer com que pelo menos alguns insights tomem corpo na minha vida? Como seguir tantas dicas, sem esquecê-las em breve?

Fato é que acumulo textos, fotos, páginas com ideias, com imagens bonitas, com novas formas de usar o básico. Porém, como a roda da informação gira ininterruptamente, esse acúmulo se transforma somente nisso: uma coleção de papel e imagens que não é mexida, que não é revista -- logo, que não tem vida.
Adoro esta imagem (fonte), ela representa super bem como me sinto em relação ao excesso de informações e pesquisa: soterrada.

Meu sonho é uma escrivaninha limpíssima, com apenas alguns objetos enfeitando. Tipo esta aqui, de post do Living Gazette:
 Será que um dia alcançarei essa iluminação toda?

Mesmo ainda lutando entre duas vontades {um lado meu quer jogar tudo fora e o outro quer organizar e guardar}, me rendi à necessidade real de mais gavetas. E dentro de alguns dias serei a feliz proprietária de um arquivo de metal com pintura epóxi preta:
O bichinho é da TokStok e vai ficar embaixo do vão da escrivaninha.
{Havia escolhido antes um com 4 gavetinhas mas, decidi trocar por este com gavetão 
para pastas suspensas -- acredito que vai ser mais útil assim}

A cor preta foi escolhida propositalmente: testei vermelho [minha primeira escolha], branco, e preto, usando tecidos e caixas para simular o gaveteiro já debaixo da mesa. Resultado: vermelho e branco chamam totalmente a atenção quando se entra no ambiente. Já com a cor preta fica camuflado. E convenhamos: é um móvel 100% útil em um escritório, mas não é dos mais lindos, né? Prá que chamar atenção para ele?  :D

Conclusão
Tenho 9 dias -- tempo que o arquivo demorará para ser entregue --, para limpar, triar e efetivamente me decidir sobre todos os papéis físicos acumulados.

Acredito que descartarei muito do que for em papel. Se eu não me perder no caminho, só manterei imagens que definam meu estilo. Isso é sempre bom para nos nortear, não é?
Já arquivos digitais que foram salvos no iMac pretendo transferir para um pen drive e fazer como nos guarda-roupas: se nada for acessado por um ano, melhor deletar e abrir espaço para o novo.

São boas intenções mas ainda estou receosa. 
Vocês também se apegam aos seus papeizinhos e demais fontes de inspiração?

Comentários