Pular para o conteúdo principal

Livros do mês

Nos últimos 30 dias li quatro livros no iPad [Air 2], o brinquedinho novo que comprei há pouco tempo e estou adorando. Por ter iluminação própria nos desobriga de ler somente sob abajures ou em locais bem iluminados, o que acaba por permitir maior flexibilidade e, consequentemente, mais tempo dedicado aos livros. #amei


Garota Exemplar
de Gillian Flynn
Tema: No aniversário de cinco anos de casamento de Nick e Amy Dunne, Amy desaparece e seu marido se torna o principal suspeito do que aparenta ser um sequestro violento.

Opinião: Primeiro da lista do iPad, é MUITO interessante. A história inicialmente parece comum e meio clichê, porém há reviravoltas inesperadas, quando você se sente totalmente enganada pela autora. Vale a pena ler.
[Há o filme, de 2014, mas ainda não assisti]


Eu estive aqui
de Gayle Forman
O tema central é a repercussão do suicídio da melhor amiga de Cody, Meg, que se mata ao tomar um frasco de veneno. Sem saber como lidar com as emoções ligadas à essa notícia, Cody se impõe a tarefa de entender o por que sua amiga chegou a isso e, nesse caminho, adentra o mundo dos colegas e conhecidos de Meg.

Opinião: Olha... o livro é beeeem fraquinho. Sabe aquele estilo novelão, em que a antipatia inicial entre dois personagens acaba se tornando um amor lindo? É desses.
Não leria novamente, não recomendo.


A Garota no Trem
de Paula Hawkins
Tema: Rachel viaja todas as manhãs no mesmo trem e sempre observa atentamente as casas e os habitantes próximos ao trecho em que o trem para em um sinal vermelho. Em um dos dias ela repara em uma cena incomum e, posteriormente, descobre que a moça avistada está desaparecida. Isso a faz ir à Polícia e se envolver diretamente na investigação e busca da jovem.

Opinião: Apesar da Saraiva o descrever como "um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado", não chega a tanto (rs). A história é envolvente, sim, mas há problemas na construção da personagem Rachel. Mesmo assim, considero-o intrigante. Recomendo como distração.


À Procura de Audrey
de Sophie Kinsella
Tema: Audrey é uma adolescente de 14 anos que, após ser vítima de bullying na escola, desenvolve transtorno de ansiedade e episódios depressivos. Vive reclusa em casa usando óculos escuros para não fazer contato visual com ninguém.

Opinião: Apregoado como "um romance inspirador sobre família, primeiro amor e depressão", é na verdade um livrinho infantilóide e simplista. A autora trata a depressão e o transtorno de ansiedade como algo que melhora magicamente dependendo da situação vivida pela personagem. Está namorando? Ótimo, já melhorou.
Gente, quem já viu casos dessas doenças sabe que isso é má literatura por passar a imagem de que a cura está na disposição do indivíduo, não no tratamento medicamentoso e psicológico. Sim, a personagem está indo à psicóloga e está tomando remédios, mas não é isso que lhe dá o ponto de virada para uma vida mais normal: é a influência do novo amigo/namorado.

Conclusão: você já passou da adolescência? Sim? Então NÃO LEIA.


Completando, um livro (em papel) que li há alguns meses e não havia resenhado ainda:
Um brinde a isso
por Betty Halbreich
É a autobiografia da autora, que conta desde sua infância, casamento, sua vida na alta roda de New York dos anos 50 e, posteriormente, a derrocada de tudo que ela prezava. Com 50 anos decide trabalhar e inicia uma carreira de vendedora na Bergdorf Goodman, tradicional loja de departamentos nova-iorquina. Logo é alçada a personal shopper, uma função inédita na loja, e alcança tanto sucesso que está lá até hoje, distribuindo conselhos francos a todos que a procuram.

Opinião: O livro é bem interessante, a vida dela quando moça é algo tão surreal para quem não viveu nesse tempo e nem é bilionário, que parece filme. Depois de um tempo o livro foca-se no seu trabalho na BG e nos inúmeros desafios que enfrentou. Há muita informação de moda, muitas ideias sobre o mundo da moda atual.
"As roupas, que agora giram em torno de tamanhos mínimos (diferentes dos tamanhos das mulheres reais), vão ficando cada vez menores. O que antes era tamanho 42-44 agora é 38-40."
Gostei. Se você curte moda e biografias, leia.   ;)

Comentários

Postagens mais visitadas

Minimalismo por que?

Fui atraída pelo assunto Minimalismo após ler posts de moda que tratavam sobre consumo excessivo e ter ficado refletindo sobre a grande relevância desse assunto. Em seguida me empenhei na leitura de diversos blogs sobre o tema.
O interesse por algo diferente do seu cotidiano não acontece do nada: alguma coisa está mudando em você, ou lhe incomodando, criando a necessidade de transformação, de outro enfoque.
No meu caso, vejo agora, duas correntes complementares causaram isso: meu amor por organização + o desagrado com a maioria das compras de roupas que eu vinha fazendo.
O método da Marie Kondo ajudou a destralhar meu guarda-roupa e escritório. No entanto, ainda falta... Sinto que posso fazer melhor, que há mais a ser retirado das estantes. E a quantidade absurda de roupas que foi removida do armário, muitas delas sem uso, fez com que eu tivesse de encarar de frente que meus hábitos de consumo estavam equivocados [para falar o mínimo].
Ou seja: cansei de lutar para manter a organizaç…

Julho sem Desafio

De uma hora para outra me vi precisando muito de itens que não tinha, e os culpados disso são:
frio!!! Este ano o frio pegou mesmomudança de pesoreposição de lingerie e de camiseta para dormirmãe querendo iPad Depois de constatar o acima, e mesmo sendo as substituições liberadas do Desafio, achei melhor fazer uma pausa para resolver definitivamente tudo o que era preciso.


❄ O frio me pegou de surpresa, descobri que não tinha mais que uma malha de cashmere e as camisetas de manga longa eram fininhas, ou seja: não dava para sobreviver só com isso nesta temperatura baixa -- pelo menos não de uma forma fashion.
Esta época é conhecida pelo look cebola: tudo usado junto, roupa em cima de roupa, na tentativa de se agasalhar ao máximo. Não gosto desse método, muitas vezes as peças não combinam nada entre si e o resultado é, para dizer o mínimo, bem ruim.
Entendem o que digo?
Depois de malhas, outra substituição necessária: calças jeans. Emagreci um pouco e elas ficaram largas na cintura e sobra…

Destralhe digital e real

Que incrível que é mudar os parâmetros que nos acompanharam a vida inteira, não é? Ultimamente só consigo pensar em diminuir meus pertences, exatamente o contrário do que sempre fiz.


Em Maio eu estava aqui reclamando da dificuldade que estava enfrentando para deletar arquivos no computador. Update: O destralhe digital ainda está acontecendo, mas a passos de tartaruga...
São dias e dias focada em textos, em dígitos, sentindo que estou sempre na mesma: o que eu limpei ainda é muito pouco frente ao montante de arquivos.

E acho que foi isso que me fez acordar uma manhã animadíssima para destralhar objetos.
Coisas palpáveis são muito mais fáceis de limpar, e ainda se vê claramente o resultado (ao contrário do digital).


Comecei juntando todos os meus cosméticos e afins, que estavam distribuídos por 4 lugares diferentes (olha só que coisa mais errada! 😱). Sentei no chão com eles e todos passaram por uma inspeção minuciosa:
(i) validade definida pelo fabricante,
(ii) validade do produto dep…

Dicas de presente para terceira idade - I

I- Para uma senhora idosa ativa

Pessoas mais idosas são difíceis de presentear pois os itens escolhidos têm que ser muito bem pensados para que não se tornem mais um estorvo dentro da casa ou do armário.
Vale aqui a mesma coisa que pensamos quando estamos procurando algo para alguém mais jovem: qual a rotina da pessoa? qual seu hobby? do que ela gosta mais?

Para as pessoas da terceira idade que mantém rotina agitada as opções são maiores. Sei disso porque meus pais têm quase 90 anos e são super ativos, viajam, lêem, assistem filmes. Sempre mais fácil presentear nesses casos. Com quem você tem intimidade estão liberados os itens de MODA como roupas, bolsas e sapatos. Aqui seguem ideias para presentear uma idosa ativa, porém não tão íntima para escolhermos os itens acima.


Colares
Adoro senhorinhas com muitos colares ou com peças bem coloridas. É uma época da vida em que você não tem que seguir moda, você FAZ sua moda.   Este acima seria perfeito para minha mãe, que gosta de cristais e br…

Trend Inverno/18: xadrez

Este é o inverno das padronagens xadrezas, olha a coleção outono/2018 da Miu Miu:
Este artigo da L'Officiel vai lhe informar bem sobre estilos e modelagens. Se você estiver procurando roupas nessa estampa, a Zara costuma ter tudo que é novidade, provavelmente você encontrará muitas peças por lá.

Entretanto, se você prefere um toque mais discreto ao invés do look completo, os sapatos em tartan - aquele xadrez bem invernal inspirado no vestuário escocês - são uma boa pedida.

Esta semana a vitrine da Santa Lolla estava lotada com vários sapatos nessa estampa:
Sapatilhas, R$100 cada - a branca está linda! Com caveira, R$170 - pena que tem o bico muito redondo, isso infantiliza o look Lindo sneaker, uma cor ótima e com um toque de tartan - R$150 Olha essa mochila, que fofa! - R$300 E que tal este slip on? - R$130
Pesquisando em diversas lojas encontram-se inúmeras opções, desde Burberry até Moleca, olha só:
Tênis de couro com detalhe xadrez, Burberry - R$2.650 - na Farfetch

Acima Luiz…