O Amor pela Moda e o Minimalismo


Pode inicialmente parecer conflitante, mas o que me levou a experimentar um armário cápsula minimalista foi justamente o amor desmedido pela Moda.
Ao acompanhar os desfiles e as últimas novidades sempre surgia uma estampa, uma cor, uma modelagem pela qual eu me apaixonava e que ainda não existia no meu guarda-roupa. Isso criava uma vontade imensa de preencher esse gap, de comprar aquela peça tão linda. Resultado: muito mais roupas do que preciso e vontades sendo criadas e alimentadas a cada novidade da indústria da Moda.

Talvez por ser libriana, o Belo sempre esteve muito presente na minha vida. Admiro tudo que é bonito, estou sempre buscando por um espaço agradável e bem decorado, por roupas com estampas inspiradas e formatos não comuns, por it-bolsas icônicas.

A Moda me encanta! Veja esta foto:
Gostei de tudo: essas bolsas, o casaco com punho em pele vermelha e o conjunto de malha à direita.
Levei tempo até acreditar que era da coleção masculina da Gucci. [sim!]
"Desfile da coleção masculina de inverno 2016 da Gucci, assinada pelo estilista Alessandro Michele. Desde que assumiu o comando da grife, o designer brinca com as questões de gênero, propondo uma fluidez entre masculino e feminino." Fonte: Estadão
Entendeu porque uma revolução minimalista se fazia urgente na minha vida?  :D

Depois de levar os últimos anos em orgias de compras, cheguei à conclusão que era hora de diminuir o ritmo ou meu patrimônio nunca cresceria e ainda precisaria mudar de casa para conseguir armazenar tudo. 

E olha só, apesar de estar só no começo do desafio Projeto 333, estou gostando muito do que está ocorrendo. Vestir-me de manhã é fácil, não estou sentindo falta das peças que estão em quarentena, nestes 10 dias não tive vontade de efetivamente comprar nada. Olho as fotos de Moda, acho lindo, mas não parto para a ação de buscar aquele item, de ficar sonhando com uma oportunidade para adquiri-lo.

O minimalismo me faz olhar todo dia para aquele cantinho com 31 peças e comparar com o restante do guarda-roupas abarrotado, vendo que eu não PRECISO de mais nada. Essa é a diferença.
Enquanto você está naquela roda de desejo e consumo de Moda, tudo que aparece é essencial e tudo que você já tem se mostra demodé rapidamente. 
Com a visão de funcionalidade antes da corrida pelo novo, você descobre que a Moda é uma entidade insaciável e que você é que deve dosar o quanto vai ter dela em sua vida.

Por enquanto, indo bem...

P.S.: Tomara que os homens não caiam nessa armadilha de adoração à Moda, de começarem a querer anéis, bolsas, roupas luxuosas. Por mais lindo que seja o universo da Moda, persegui-lo é uma perda de tempo e dinheiro. Seria bom se nós, mulheres, pudéssemos nos livrar disso, e não arrastar os homens para o mesmo patamar de desejo-ostentação-sofrimento que a busca pela perfeição faz conosco.

Comentários