Livro: A Lista de Brett

Fazia tempo que eu queria ler esse livro, que fala sobre conclusão de sonhos, mas tinha perdido o título e não lembrava de jeito nenhum. Até que num dos email que a Amazon envia frequentemente, identifiquei o mesmo. Comprei na hora e, na primeira sentada li metade do e-book. No segundo dia [na segunda madrugada, para ser sincera], terminei. É uma delícia quando a leitura flui e nos prende assim, não é?
'A lista' do título é uma folha com as metas de vida que a protagonista, Brett, escreveu quando tinha 14 anos. Hoje, com 34, e após a morte da mãe, sob seu maior espanto recebe essa página de volta pelas mãos do testamenteiro, com instruções específicas de completar as metas em um ano para, só então, poder receber sua parte da herança materna.

A parte do livro na qual ficamos conhecendo a vida atual da Brett, e seus receios e inconformidade com a lista, é a melhor. Enquanto ela se rebela e luta para iniciar a busca pelos tais ideais perdidos, é inevitável nos imaginar em situação semelhante: o que faríamos se tivéssemos que mudar radicalmente a vida, da forma como está estabelecida, para perseguir sonhos da juventude?

Há muitas partes que grifei, frases particularmente inspiradas e poéticas.
"Olho pela janela e minha mente se volta para uma outra época, quando eu era audaz e destemida e tinha certeza de que meus sonhos se tornariam realidade. Mas então as coisas aconteceram como deveriam acontecer, e eu aprendi que o mundo não gira ao meu redor."

"... em algum lugar ao longo da estrada, você perdeu a ousadia. Aquela garotinha feliz que adorava contar histórias, cantar e dançar se tornou ansiosa e insegura."

"Eleanor Roosevelt certa vez disse: 'Todos os dias, faça algo de que você tenha medo'. Continue se obrigando a fazer coisas que lhe dão medo, querida. Assuma os riscos e veja onde você aterrissa, pois são eles que fazem a jornada valer a pena."

"Há um limite para o que as fadas madrinhas podem fazer. Eu acho que cada um tem o poder de realizar os próprios desejos. Só precisamos encontrar coragem para isso."
Ou seja, há muitas citações que estimulam para sairmos de nossa zona de conforto e nos empenharmos a conseguir realizar sonhos, ideais há tempos esquecidas, propósitos de vida.

E apesar do último terço do livro ser bem menos inspirador, ainda assim é uma leitura agradável e que nos deixa leves e um tanto pensativas, ao final. É bem menos chick-lit do que parece. #recomendo

Comentários