Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

Ouvidos de graça

A Revista Vida Simples trouxe um artigo bem interessante:
"Ouvidos de graça. Basta se aproximar e falar a um voluntário sobre sua vida, algo que o entristece e o que mais desejar contar. O projeto Confessionário Urbano foi criado pelo americano Benjamin Mathes, que em 2012 passava por um divórcio e procurava formas de se recuperar. Ele acredita que a atenção é fundamental para todos nós e não é preciso ser especialista para aprender a ouvir. “Ao fazer isso, tiramos muitas barreiras da conexão humana”, diz. Benjamin disponibilizou, no site do projeto, um passo a passo para quem deseja abrir a escuta. Assim, qualquer um pode virar voluntário. CONFESSIONÁRIO URBANO http://urbanconfessional.org"
E, por incrível que pareça, ideia bem semelhante apareceu no livro "100 Dias de Felicidade" [resenha aqui]. Nele, o protagonista está andando sem rumo quando vê uma lojinha com letreiro Bate-papo. Ao entrar, descobre:
"uma lareira apagada, dois sofás e uma poltrona…

Luto, perdas e afins

Quando pensamos na palavra luto imediatamente associamos a alguma perda significativa, e assim é; luto é uma expressão usada para denominar o processo de vivência e elaboração de emoções decorrentes de alguma perda. Perda nos remete à morte de uma pessoa amada, a separação em uma relação amorosa, demissão de um emprego, um abalo financeiro e por aí vai, e tudo isso é verdadeiro e procede. Mas há um tipo de sentimento de perda sutil e muitas vezes inconsciente, que não está necessariamente atrelado a um evento externo, e que diz respeito à perda da pessoa que costumávamos ser e já não somos mais. A vida acontece através de ciclos e é ao final de um e começo de outro que geralmente essa sensação de estranhamento nos assola: a perda da infância com a entrada da adolescência, a perda da adolescência com a chegada da vida adulta, a perda da juventude a partir da entrada na maturidade, a chegada da velhice que nos coloca na reta final de encontro com a inevitabilidade da morte. Esses ciclo…

Consumindo melhor

Depois da limpeza de guarda-roupa pelo método KonMari, que resultou em umas seis caixas de roupas para doação, passei por uma experiência de usar um limitado armário-cápsula por dois meses. Essas duas coisas foram essenciais para modificar totalmente minha atitude de compras e de consumo de moda.

Percebi que antes eu entrava nas lojas procurando algo para comprar, mesmo sem ter nada em mente. E, claro, acabava vendo uma camiseta com um bordado bonito, um casaco de uma cor fantástica, etc., que levava para casa achando que tinha meio que "ganhado no jogo de encontrar algo legal".

Só que ao destralhar meu armário vi que essa forma de pensar faz com que se tenha muita coisa, sendo que dificilmente elas combinam entre si. E que ninguém precisa de tanta roupa!
A princípio achei que tinha chegado a um guarda-roupa equilibrado, mas vejo que ainda está muito lotado. Estou sentindo necessidade de fazer outro destralhe, acredita?

A pior parte do destralhe não é abandonar tanta roupa …

Livro: Ódio, Raiva, Ira e Outros Prazeres Diários

Este livro é ótimo!!! Divertido, com lances que me fizeram gargalhar sozinha. Portanto, não leia no trabalho porque você vai ser flagrado pelos risos.  :)
O autor, Mentor Muniz Neto, tem aquele humor fácil que lembra os escritos de Luís Fernando Veríssimo ou mesmo Mario Prata. Discorre sobre assuntos banais sempre com algum viés irônico ou francamente debochado.

Abaixo algumas frases que pincei das crônicas. Apesar de estarem fora do contexto, dá para sentir a vibe:

"O Brasil é o único país que tem chuveiro elétrico, sabia? No resto do mundo só misturam eletricidade e água quando querem se suicidar."

Academia: "Eu sempre escolhia a esteira mais distante de qualquer outro ser humano e me arrastava de cócoras até lá, na esperança de passar despercebido."

Avião: "Aí você entra no avião. E na 1A tem um sujeito de 300 kg tentando guardar uma mala com um cadáver no compartimento acima da poltrona. Ninguém passa."

Energia: "Não pretendo socar ninguém. Em caso …

Links lindos da semana #7

Aqui estão seis coisas que chamaram minha atenção esta semana!

A Macy's fechou parceria com Iris Apfel para uma coleção de 40 peças inspiradas nos anos 60. Alguém duvida que será um sucesso? Nas lojas Macy's a partir de setembro deste ano. [link]


As bolsas tipo mochila estão tentando um retorno à moda há meses, e esta foi a mais linda que vi. É da marca Loeffler Randall, metálica, e está disponível na Bloomingdale's por US$395. [link] Hora de procurar uma similar brazuca!


Falando em loja nacional, a Animale está em liquidação. Olha que casaco mais lindo esse da foto!!! [link]

A neta de Dorina Nowill se empenhou para criar um documentário sobre essa mulher fantástica que, cega desde os 17 anos, lutou a vida inteira para que as pessoas com dificiência visual fossem incluídas e tivessem ao seu dipor biblioteca e apoio. Uma pessoa de valor incalculável. [link]
Uma lente de contato que reverte cegueira causada por problemas na retina. O quão maravilhosa é essa notícia?!? A lente…

Notícias absolutamente perfeitas

Como você lida com a internet, Facebook, Whatsapp, etc.? É tranquilo ou às vezes acha que esses recursos lhe tiram o tempo e atrapalham seu rendimento no trabalho e relações interpessoais "ao vivo"?
Aqui um estudo fantástico sobre detox digital e como lidar com tanta informação, como escolhê-la para que seu dia e sua vida sejam mais proveitosos. Separe uns bons 20 minutos para ler tudo com calma. Acredite, você vai gostar.

“Apenas acumular informação é basicamente uma perda de tempo. Pensar mais profundamente sobre um pedaço de informação é recompensador”, diz Ellen Langer, pesquisadora de Harvard.
Por muitos anos, existiu uma ideia errônea de que informação é poder. Acumular e ler muito lhe confere poderes especiais, mas, na realidade, a capacidade de analisar e processar informação é que garante isso”, completa Tiago Dória, jornalista e pesquisador especializado em estratégia e inovação pelo MIT.

O outro link que achei incrível é este aqui, que mostram óculos que permite que …

Não entendo mais nada...

A internet traz todo tipo de assunto e teoria à nossa mesa. De uma forma geral, passei a ser mais compassiva e moderada em minhas opiniões ao ver quantas ideias diferentes são expostas sobre uma mesma questão. Mas ultimamente ando duvidando do meu bom senso... Está difícil opinar, está difícil ter um ponto de vista que seja corroborado por muitas pessoas. Será que perdi o trem?


Por exemplo: no site Petiscos há uma discussão sobre uma propaganda banida pelo Advertising Standards Authority britânico.
"No ano passado mais uma propaganda ofendeu as mulheres que pegam o metrô em Londres. Dentro dos vagões, ao lado da imagem de uma mulher com corpo escultural e bronzeada uma pergunta: “O seu corpo está pronto para o verão?”. Tratava-se do anúncio de cápsulas de proteínas emagrecedoras, claro, o tipo de milagre que a gente já conhece e sabe que não funciona.
Na época, a ASA (Advertising Standards Authority) recebeu mais de 360 reclamações pelo anúncio, e o site Change.org coletou mai…

Malabaristas

Quando eu era criança e assistia a apresentações de malabarismo, fossem no circo ou na televisão, ficava completamente fascinada! Como é que aqueles chinesinhos (a maioria era oriental e para mim todos chineses) eram capazes de tamanha façanha? Equilibravam vários pratos suspensos em uma vara, giravam os pratos entre pernas que subiam e desciam, davam piruetas, saltavam, faziam pirâmide humana e os pratos continuavam girando sobre as varas, nenhum vinha ao chão, parecia uma dança de harmonia perfeita!! Mal sabia que aquilo que me deixava deslumbrada naquelas ocasiões era justamente o que eu iria precisar e buscar pela vida, a possibilidade do equilíbrio. Aquela cena é uma representação simbólica do que precisamos aprender e aperfeiçoar para nos mantermos vivos e saudáveis, e é talvez o nosso maior desafio. Para conseguir coordenar os pratos que giram simultaneamente, o malabarista precisa primeiro aprender a coordenar o próprio corpo, ou melhor, os três corpos, o físico, o emocional e …

The Midult

Midults foi o termo cunhado pelas jornalistas Annabel Rivkin e Emilie McMeekan ao criarem uma nova plataforma digital voltada às mulheres maduras com idades entre 35 e 55 anos.
Elas montaram site e Facebook e discutem todos os assuntos que são de interesse dessa geração.
- Nesse ponto não são muito diferentes do nosso Blog  :)  Aquilo que sempre falamos por aqui, que as mulheres dessa faixa etária são um dos grupos de consumidoras mais poderosas, foi transcrito para números pela equipe do The Midult: segundo elas, representamos 70 a 80% dos gastos dos consumidores em todo o mundo.

Já era tempo dessa percepção ganhar força. Afinal, estamos cansadas de ver vitrines montadas para jovenzinhas, roupas que não têm numeração real e pouca representatividade na internet.

Leia aqui [Blog Mauren Motta] um post muito bem feito sobre The Midults.
Para acompanhar os textos do The Midult você precisa se cadastrar, é algo bem rápido. Elas escrevem em inglês, são londrinas. Isso atrapalha um pouco …

Livro: Isso me traz alegria

Terminei de ler o segundo livro da Marie Kondo. Ele é um suplemento ao livro Mágica da Arrumação. Fala as mesmas coisas, porém aqui o método exato de arrumação é descrito e ilustrado.
Se no primeiro livro ela fala para dobrar as roupas de forma que fiquem pequenos embrulhos que parem em pé sozinhos, aqui essa forma de dobrar é explicada em detalhes e há algumas figuras que mostram o passo a passo.

Não consegui concordar com algumas coisas como, por exemplo, retirar os rótulos dos produtos que ficam no armário do banheiro, para que o visual geral seja mais bonito. Penso que se estiver tudo limpo e organizado, não há porque se privar da identificação dos produtos! Mas isso é só um pormenor.

Gostei muito da parte da arrumação das roupas, todos os pontos foram bem instrutivos. Se você gosta de explicações minuciosas e de se sentir bem orientada ao fazer um tarefa, vai gostar do "Isso me traz alegria".

A violência de todos nós

Estamos assistindo a acontecimentos dolorosos que tem em comum a manifestação brutal da violência. No Rio uma menina de dezesseis anos foi estuprada por vários homens; na madrugada do último domingo cinquenta pessoas foram mortas em Orlando enquanto divertiam-se em uma boate frequentada por homossexuais.
Não bastasse a brutalidade em si, ainda abre-se espaço para debater as possíveis razões que levaram a tais acontecimentos. Seria a menina parte do grupo, acaso ela costumava frequentar a favela onde o estupro ocorreu? E no caso da boate americana, seria o matador homofóbico ou o assassinato em massa foi um ato terrorista? A divulgação da noticia faz eclodir outra manifestação, tão irracional quanto, da violência que não está no outro, mas em cada um de nós.
No dois casos observamos um confronto de irracionalidades. Em relação ao estupro há de um lado os que acusam a garota de ser “merecedora” do que ocorreu, uma vez que o comportamento dela deve ter contribuído e muito para esse des…

O que podemos vestir aos 50?

O que estará de acordo com nossa idade? O que podemos vestir aos 30, aos 40, aos +50 anos?
Porque, né?, as revistas e posts estão aí para ditar o que é certo ou errado, e nos resta obedecer. OU NÃO. Nã-nãni-nãnão.  :)

Em oposição a um artigo que a blogueira do Warning: curves ahead leu no Facebook e que se intitulava "24 coisas que as mulheres devem parar de usar após os 30 anos", e em cuja lista constava "estampa de leopardo", "camisetas gráficas" e "vestidos curtos", ela resolveu fazer um post dizendo 24 coisas que as mulheres de mais de 30 devem usar. O resultado é espetacular! Não deixe de ler:
24 coisas que as mulheres de mais de 30 devem usar
Não importa quão idoso você seja, você nunca para de sonhar.  Então, porque deveria parar de sonhar quando se trata de roupas?

Que frio, hein?!

São Paulo hoje está com temperatura de 8°C. Excelente momento para um chocolate ultra quente, uma comidinha que acabou de sair fervente do fogo, um cobertor de alpaca.
Mas desde que a temperatura despencou dos 35°C [o que ocorreu há cerca de um mês] o que se ouve por aqui é:
"Aaaaaiiiiii, que friiiiooooooo! Quem aguenta esse tempo? Minhas mãos estão geladas, bla, bla, bla..."

O interessante é que ouvimos isso exatamente das mesmas pessoas que se queixavam: "O calor está demais, não se consegue fazer nada nessa temperatura, eu estou aqui morrendo... bla, bla, bla."

Ou seja, há uma cultura da reclamação e do inconformismo com coisas cuja solução está fora do nosso alcance. Um hábito chato e que me dá #preguiça. Mas mostra bem como as pessoas não se preocupam com o que falam, com a energia que colocam para fora.

Ficar sem reclamar é super difícil. Você já tentou? Tipo passar um dia sem uma reclamaçãozinha, umazinha só? Quando você menos espera, fala um "que chato…

Love is in the air

A sociedade ocidental é mesmo curiosa! Fazemos um calendário cheio de datas comemorativas; temos dia das mães, dos pais, da criança, do professor, e entre outros tantos, o dia dos namorados. É claro que há um input do comércio para que essas datas sejam lembradas e uma crítica em relação a esse fato mas, queiramos ou não, elas estão presentes e causam impacto.
Hoje é um dia que divide as pessoas em três grupos distintos: as que não ligam a mínima para essa data, as que ficam esperando por ela no desejo de viverem momentos especiais com a pessoa amada, e as que sofrem por terem perdido um amor ou por não o terem ainda encontrado. Seja lá como for, quem não deseja um amor?

Há quem entenda quequalquer forma de querer é amor; será? Há o querer platônico, o suspirar e sonhar com alguém que nem foi comunicado que é objeto de desejo, muito menos conhece o sonhador, cuja projeção do ideal amoroso é lançada sobre o outro. Há a paixão, fogo que consome o sujeito em questão, que faz arder um …

Coração

E aí, como vai o coração? É sempre bom dedicar atenção para esse órgão tão especial. Não estou falando de cardiologista, eletrocardiograma ou qualquer outro cuidado físico. Falo simplesmente da sensação que temos dentro do peito, de leveza ou de opressão, diante das diferentes situações de vida.
O coração é o órgão da coragem, o centro da vida. No antigo Egito, dizia-se que Anúbis, o deus guardião dos túmulos e juiz dos mortos, presidia a pesagem do coração em uma balança cujo contrapeso era uma pluma. Ficando a balança equilibrada a pessoa seria aceita triunfalmente no reino de Osíris, senão seria devorada. Não devia ser fácil.
Mas, o que é um coração leve? É aquele que não carrega dia após dia rancor, mágoa, aborrecimentos. Para o coração ser leve é preciso ir deixando essas coisas pelo caminho. No final do dia, com a cabeça no travesseiro, entregar para o passado o que foi bom e o que não foi. E dormir esvaziado de pensamentos.
Tenho o hábito de fazer “A grande Invocação”, mas tod…

Sobre a possibilidade de olhar

Há um vídeo produzido pela Amnistia Internacional da Polônia e uma agência de publicidadeque mostra um experimento feito entre refugiados vindos da Síria e Somália com europeus de diversos países. Esse experimento tem por base uma teoria desenvolvida pelo psicólogo americano Arthur Aron nos anos noventa. Ele postula que um contato direto feito por duas pessoas durante quatro minutos, olhos nos olhos, cria uma aproximação que nenhuma outra situação é capaz de criar em curto espaço de tempo. O objetivo da campanha é, evidentemente, diminuir a rejeição e o preconceito em relação aos refugiados e mobilizar os europeus a desenvolverem uma aceitação maior; o vídeo é comovente e, ao assisti-lo, conseguimos dimensionar a emoção das pessoas e o quanto elas realmente interagem.
Se pararmos para observar como a maioria de nós, principalmente os jovens, se relaciona atualmente, esse experimento cai como uma bomba no oásis tecnológico que criamos e consumimos sem o menor constrangimento!! Quero dei…

Novo livro de Marie Kondo

Lançado HOJE, em Português, o novo livro de Marie Kondo - Isso me traz alegria: Um guia ilustrado da mágica da arrumação.
Eu já havia encomendado o e-book assim que soube que ia ser lançado, por pura curiosidade. O que será que ainda há para ser falado além do que já foi explanado no livro anterior?
De qualquer forma, à meia-noite e um minuto [rs] recebi o email da Amazon com o aviso que ele ficou disponível para baixar no iPad. Ainda não li, claro, mas meu primeiro receio - que fosse um livro só de ilustrações - já está resolvido. Não é, é um livro texto com algumas ilustrações. 
Segundo a resenha publicada, é um guia que ensina passo a passo como arrumar da forma mais eficiente possível cada cômodo da casa: do quarto ao banheiro, da sala à cozinha e que responde dúvidas dos clientes e leitores, abordando temas que ficaram de fora do livro anterior.
Vou ler asap e volto para contar exatamente o que achei.
Caso vocês sejam curiosas incorrigíveis, como eu, o livro já está disponível e…

Livro: A Fuga, de Barbara Delinsky

O tema é instigante: cansada do ritmo estressante de New York, uma advogada larga emprego, marido e rotina por uma viagem sem rumo definido, procurando se encontrar novamente.
A fuga a leva a uma cidade pequena onde vive sua melhor amiga do tempo do colégio, da qual se distanciou completamente após romper namoro com o irmão dela.
Dados para um bom romance existem: uma amizade a ser reatada, a convivência com antiga paixão, o questionamento quanto ao rumo do casamento após ter-se rebelado... O que acontece, no entanto, é uma narrativa chatinha e arrastada, com a protagonista repetindo as mesmas perguntas a cada página, as mesmas dúvidas e "o que vai ser da minha vida agora" on and on and on and on....

Foi difícil conseguir terminar de ler, só resisti até o final [336 páginas] porque a leitura não precisava de mais de dois neurônios conectados ao mesmo tempo: era tudo tão previsível e repetitivo que uma olhada pela página já dava o tom do que estava acontecendo.

Já li Para Min…

E aí, 50?

O Pílulas de Moda existe como blog autoral desde 2011 e em março deste ano [2016] ganhou a participação constante de duas novas colaboradoras, a Ana e a Marise. Descobrimos, com o tempo, que nossos textos se completam e nosso pensamento é muito similar. Então, resolvemos criar um blog novinho que seja "a cara" dessa parceria. Assim nasceu a ideia do E aí, 50? Por que esse nome? Porque estamos todas na faixa dos 50 anos e sentimos falta de representação em blogs para essa mulher adulta no meio da vida que é ativa: pensa, trabalha, consome moda, se cuida, vive intensamente.

Nosso blog é um chamamento para você, que está por volta dos 50 anos. Aqui você vai ler conteúdo que fala diretamente à sua e nossa realidade, abarcando dúvidas, certezas e dia a dia.

Esperamos que nos acompanhe nessa jornada! eai50.com.br

Você já se pegou nublada?

Hoje acordei nublada e senti vontade de escrever sobre isso; esse adjetivo é usado para descrever a condição do tempo, mas por que não usá-lo também para falar sobre a condição emocional?
Da mesma maneira em que há dias que o sol brilha logo cedo e a luminosidade toma conta de tudo, também nós às vezes acordamos com um brilho na alma e no coração. São aqueles dias em que dá vontade de pular logo da cama, tomar uma chuveirada gostosa, preparar um bom café da manhã e partir para a vida com disposição e certeza de que tudo dará certo. Mas nem sempre é assim. Às vezes acordamos chuvosos, as lágrimas aparecem sem necessariamente entendermos porquê, e a tristeza nos toma de assalto. Lembra enchente, se avoluma, invade sem pedir licença e demora a escoar, e assim ficamos mergulhados nela, nos sentindo um pouco náufragos, encharcados de emoções.
Hoje pela manhã havia em mim uma certa indecisão; o despertador tocou e eu não sabia se queria levantar ou voltar a dormir; enrolei um pouco e saí d…