Livro: Loney

Fiquei sabendo desse livro pelo blog Elise-Salada Mista. Ela faz um clube do livro bem legal, com encontros mensais para falar da obra do mês, mas é no RJ. Se você se interessou e é do Rio, siga o link acima.  :)

Para este mês eles estão lendo Loney, primeiro livro de Andrew Michael Hurley. E resolvi fazer o mesmo!
Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.
Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.
Livro vencedor do Costa Book Award de 2015 na categoria de autor estreante e eleito melhor do ano pelo British Book Awards

Olha, sem querer cortar o barato de quem ainda vai começá-lo, fato é que achei-o bem escrito mas não empolgou. A linguagem usada é muito culta e até um pouco empolada demais, com termos muito específicos ligados à prática católica. O bom é que no iPad você só seleciona a palavra e um dicionário virtual lhe dá imediatamente o significado, ajudando o texto a fluir sem grandes interrupções.

Eu esperava um mistério inicial que se desenvolvesse ao longo do livro mas, na verdade, os tais restos mortais só entram em cena quando estamos a 95% da leitura. Até estranho aparecerem como destaque no resumo da livraria, não é?

E o tema não me agradou: muita citação religiosa, personagens crédulos, um fanatismo religioso bem rançoso.

Também senti dificuldade para entrar no clima dos lugares descritos, tão diferentes de nossos dias com sol. Névoa, chuva, um mar que avança subitamente e varre tudo que encontra pela frente.
Se valer de algo, o protagonista é muito bem montado e o final é interessante.
Enfim, só posso dizer que gostei "médio".  :(

Comentários