Livro: Que Ninguém Nos Ouça



 Não dá para querer explicar melhor esse livro do que já fez Martha Medeiros (uma de minhas escritoras favoritas, diga-se de passagem!):

“Doçura, inteligência, graça, suavidade – lembra? Também imaginei que estivessem em extinção, mas descobri que seguem vivas nas páginas de Que ninguém nos ouça. Não que seja uma literatura para mocinhas inocentes: o assunto muitas vezes é barra. Nem Leila, nem Cris saltaram de um conto de fadas. Porém, mesmo quando confidenciam a parte trash de suas trajetórias, a delicadeza continua mantendo o tom. Amargas? Nem que quisessem. Nem que tentassem. É o único talento que elas não têm. Duas mulheres incomuns e com experiências singulares: só pelo voyeurismo consentido, já valeria dar uma espiada nessa troca de e-mails entre as duas. Porém, basta abrir a primeira página para perdermos a ilusão de que teremos algum controle sobre a leitura. É a Leila e a Cris que seguram o leitor nas mãos: fisgado e rendido, ele ficará preso até a última linha, quando então retornará à vida acreditando novamente na espécie humana.” Martha Medeiros


A grata surpresa foi ver que a Cris citada é nada menos do que Cris Guerra, a escritora do blog "Hoje Vou Assim" e de livros como "Para Francisco" e "Moda Intuitiva". Sim, também sou fã absoluta dela.

E Leila Ferreira tem vários títulos publicados, uma coletânea com nome base "Viver não dói".

Fato é que são umas lindas! O livro é uma compilação dos e-mails que elas trocam falando da vida, do envelhecer, das perdas. Ambas têm estilo parecido, de fazer poesia na prosa, de escrever algo que poderia ser banal tornado-o um poema. A sensibilidade está à flor da pele o tempo todo. Grifei tanta coisa para retornar e levar para a vida!
Terminei o livro querendo muito me corresponder com elas. Quem me dera!...

Um livro especialmente feminino. Não perca!!

Comentários