Para comemorar


As mulheres resolveram se fazer ouvir e isso é muito bom.

Pénélope Bagieu é uma jovem ilustradora e desenhista francesa. Ela se tornou conhecida graças a seu blog “Ma vie est tout à fait fascinante(Minha vida é totalmente fascinante), onde ela expõe de forma bem-humorada instantes da sua vida cotidiana.
Atualmente, ela lança um blog no site Le Monde, onde apresentará 30 mulheres que enfrentaram preconceitos e dificuldades para conquistar direitos e uma maior liberdade, mas que são desconhecidas do grande público. A artista quer fazer justiça e dar-lhes visibilidade. Ela pergunta:
"Por que nas classificações de personagens que mudaram a história há, no máximo, uma ou duas mulheres em 100, embora existam muitas mulheres que tenham feito coisas tão marcantes quanto os homens? Por que a história é sempre escrita sem elas?"

Critérios de escolha:

A seleção foi feita subjetivamente e nela cabem mulheres que enfrentaram ditaduras ou que revolucionaram a moda. Além disso, Pénélope Bagieu quis contar histórias que aconteceram em várias épocas e em diferentes contextos geográficos e históricos. Segundo ela, os combates são sempre mais difíceis para as mulheres. O ponto comum é que, em algum momento, cada uma delas percebeu que viver, fazer e ser aquilo que de fato importava, era a única opção. Vale uma visita ao site.
 

Há também outro evento mediático que deu espaço para mulheres enquanto “ser” e não enquanto “objeto de desejo”. Neste ano, o tradicional calendário Pirelli substituiu as belas modelos por mulheres de outro calibre. Prova de que os ventos estão mudando.

As musas do calendário Pirelli 2016 são, entre outras, a artista Yoko Ono, a comediante Amy Schumer, a tenista Serena Williams, a atriz Yao Chen. A beleza não foi o critério de escolha, mas sim as conquistas obtidas por elas. Precisa comentar?
______________________________________________________________________________________
  

Texto de Marise Ribeiro: professora e tradutora de Francês, instrutora de Being Energy
 
 

Comentários