Facebook e autoestima

Você já deve saber bem como essa parceria funciona, não é? Na maior parte do tempo é uma simples relação diretamente proporcional: quanto mais você fica no Face vendo as maravilhas das fotos e postagens dos outros, mais infeliz você se sente.
Aliás, tem até estudos sobre isso, mas não falo por eles, não - falo aqui pela percepção direta, pelos comentários por blogs e artigos, e por um medidor que julgo muito confiável: o PostSecret.

O PostSecret é um projeto lindo: em um cartão postal, com um pequeno esforço de arte (colagem, desenho, etc.),  a pessoa escancara seu segredo e o envia anonimamente por Correio para o idealizador do projeto. Esse cartão pode vir a ser exposto em livros, exposições e no site PostSecret.com, que é atualizado todos os domingos.
[Pelos depoimentos fica claro que o simples fato de escrever o segredo e enviar já tira um enorme peso do peito das pessoas. Eu adoro esse projeto!]

E olha que há muitos "segredos" mostrando a vida falsa que é mantida nas redes sociais e a tristeza real que existe atrás disso. Abaixo alguns exemplos:
48 mensagens de Feliz Aniversário no Facebook mas zero telefonemas, zero cartões, zero presentes...
Fica super claro que essas mensagens protocolares não significam nada para quem as recebe. 


 'Eu gasto bastante tempo fazendo minha vida tediosa parecer excitante no Facebook
 para ela - nova e ardente ficção'


 'Eu sempre me pergunto se a vida é mais fácil para outras pessoas ou se eles somente são melhores em fingir'


 'Coloco selfies nas redes sociais para que as pessoas digam que eu sou bonita,
porque meu marido não me diz mais isso'

 
'Minha vida aparenta ser muito melhor nas redes sociais. A verdade é que eu me sinto miserável'

Pesado, não é?
Quando será que vamos parar de olhar para as postagens falsas dos outros e nos contentar DE VERDADE com a nossa vida?
Por menos tempo olhando Facebook e por mais tempo realmente vivendo. 😉

Comentários