Livro: Rita Lee uma biografia

Sobre este livro confesso que desisti de ler a biografia da Rita Lee. Cheguei até uns 35% e cansei. O que se iniciou super bem, divertido até, passou a ser arrastado ao citar em detalhes o panorama musical em que ela começou, anterior ao meu conhecimento musical (ela é de 1947), e que me deixava perdida nas explanações.
Também me deixou incomodada as coisas absurdas que ela fazia, as rebeldias, as loucuras. Acho que sempre fui tão certinha na adolescência e mocidade que sua fala me chocou muito, de forma desagradável. Então, parei.
Fica o alerta para quem está pensando em ler. 😳

PS: Animada por comentários no Facebook do Pílulas de Moda, continuei o livro, pulando as partes muito descritivas de shows. Não há dúvidas que Rita Lee teve uma vida tumultuada, cheia de eventos incomuns e seu livro é um relato bem humorado de tudo que ela viveu. No entanto, é uma leitura para fãs de carteirinha, não tem muito ritmo para quem está em busca de um livro gostoso.
Livro n.13/2017: ⭐ 2 de 5 estrelas

Sobre o ritmo do blog
Ultimamente tem sido difícil escrever diariamente. Problemas de saúde sempre nos abatem e este ano está dureza! O Pílulas continua firme e forte, somente não me comprometo mais a fazer posts diários, o que espero que vocês entendam. #beijos

Comentários

  1. Sempre em frente, é o que importa <3 que a escrita acompanhe o coração, senão é mera explanação, ou indústria; ela tem efeito se estamos sintonizados, e escrever realmente faz bem demais pra mente, ânimos e coração. Vamos juntas <3 sobre a Rita, a mim tb me choca, ainda que tenha um carinho inexplicável por ela, e tvz pelo mesmo motivo do seu: sou um sinônimo da prudência e da tranquilidade, e estar sem elas me consome a mal. Mas é uma história ante tudo surpreendente e difícil, reconhecidamente equívoca, e das faces da arte em que os extremos trouxeram vida e produto, mas a pena é que eu acredito que não seja esse o único caminho de uma arte sincera. Mas ela é única, sem dúvida, e um ícone de movimentos e sentimentos equivocos de um tempo, e de ímpetos humanos complicados em qualquer era, ainda assim, sempre ha de se ter gente assim - nao é de facil absorçao. Beijos!!<3

    ResponderExcluir
  2. Carol, que estranho é isso, né? A gente gosta tanto de um ídolo mas não aguenta ler sobre seu caminho, rsrs. Também adoro a Rita, acho uma artista única - porém, a rebeldia dela no início de carreira não me desceu. Fazer o que? :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário