Livro: O ano em que te conheci - de Cecelia Ahern

Adorei este livro! É uma história sem grandes reviravoltas ou acontecimentos marcantes (não é um thriller) e, ainda assim prende incrivelmente a atenção, o que atesta a qualidade do texto. É um relato de vidas quase comuns, e do quanto pode haver influência e amizade entre as pessoas.

A protagonista mora numa pequena rua sem saída, de poucas casas. Jasmine é ativa, decidida e ótima no seu emprego. Tão boa que, quando é afastada da empresa por uma divergência de opinião, é obrigada a firmar um contrato de não concorrência por doze meses, e nesse ano todo ela recebe seu salário para ficar em casa e não trabalhar.
E como uma workaholic se sente em férias forçadas?

Já Matt, que mora com a família na casa da frente, é um radialista famoso, polêmico, que tem um desses shows da madrugada onde várias pessoas são reunidas para debater sobre algum assunto - e ele maneja o programa de forma a colocar sempre as opiniões mais extravagantes no ar.
Além disso, chega em casa quase sempre bêbado, fazendo um escarcéu com o carro e com as batidas na porta tentando acordar a mulher, para que ela lhe abra a casa. Um péssimo vizinho, não há dúvidas.

Sem ter mais rotina ou ocupações, Jasmine passa a se interessar pelo jardim e pelos vizinhos, em particular pelo que vê de sua janela todas as madrugadas, contra quem ela nutre um antagonismo declarado (devido a um programa onde ele divulgou informações preconceituosas sobre Síndrome de Down, que a irmã dela tem).

Só que, quando você observa alguém por muito tempo, acaba descobrindo que a pessoa não é tão ruim (ou tão boa) quanto você tinha pintado em sua mente. E é a partir disso que a hostilidade vai caindo e surge um relacionamento mais maduro. Mas não é romance! Se fosse, seria óbvio e sem graça demais. 

Achei super diferente como ela narra quase o tempo todo incluindo o vizinho mal educado na conversa, desta forma:

"Enquanto dirijo, digo a mim mesma que não estou interessada em ver seu filho no YouTube. Digo que não vou me rebaixar ao seu nível, que tenho coisas muito mais importantes para fazer do que pensar em você e me absorver no seu mundo, mas naquele dia só tenho que comprar as coisas para o jantar."

Gostei demais da história onde você vai percebendo os fatos acontecendo e mudando lentamente as pessoas em suas atitudes e convicções. E também pelo fato da narração incluir o vizinho mal-quisto como destinatário das palavras. Muito diferente e legal. Pretendo relê-lo. 💝

Livro n.27/2017: ⭐ 5 de 5 estrelas

Comentários