Paul McCartney (e a rotina)

Este domingo fui com meu marido e um filho assistir ao show de Paul McCartney aqui em SP, no Allianz Parque (estádio do Palmeiras). Foi absolutamente fantástico!! Pontualidade britânica para iniciar o espetáculo, duas horas e quarenta minutos de palco, um público animado que cantou todas as músicas acompanhando o ex-Beatle.

Como ele tem pique para dar um show desses aos 75 anos, é um mistério. Tenho certeza que ele está bem mais disposto que eu, que ainda estou nos 50' 😆
Mas o que eu queria conversar aqui é outra coisa: o quanto é difícil sair da rotina. Quando compramos os ingressos (creio que em Maio), à mera lembrança que iríamos ver Paul McCartney surgiam sorrisos de alegria e empolgação. Nesta última semana antes do show propriamente dito, a coisa mudou...
A ideia de sair do conforto de casa para enfrentar trânsito e multidão, ainda ter que lutar por boa posição de cadeiras - os lugares não eram marcados, dependiam do horário de chegada - e naquele tempinho feio... nossa, deu uma preguiça!... Juro que eu e meu marido estávamos quase cogitando em abandonar o programa.

Mas a melhor coisa que fizemos foi sair, acompanhar o filho e ir ao estádio. Passamos alguns momentos de incerteza até encontrar lugares razoavelmente bons, o tempo estava geladíssimo, bem ao estilo "terra da garoa", porém a satisfação de ver, ouvir e cantar junto com o Paul... não tem preço (parafraseando a propaganda de Cartão de Crédito).
Conclusão: a rotina nos põe uma bola de ferro no pé e, se a gente não se rebelar e lutar para sair dela, passa a vida inteira fazendo sempre a mesma coisa. E fazer o diferente é simplesmente MARAVILHOSO. Recomendo.

Nota: Escrevi este post originalmente para o blog E aí, 50? e, por ter gostado muito dele, resolvi publicá-lo no Pílulas também 😘

Comentários