Pular para o conteúdo principal

Consultoria de Estilo: como foi minha experiência

Minha ideia era fazer um post para cada etapa cumprida da Consultoria de Estilo, mas me atrasei, nem contei do terceiro encontro e esta semana rolou o quarto e último. Então, como ninguém mais lembra dos posts 1 e 2 que escrevi sobre este assunto, resolvi fazer um texto só, englobando tudo.

 

Recapitulando: 
Estive fazendo minha segunda consultoria de estilo, desta vez com a Carlinha e a Carol, da Assinatura de Estilo. O processo está tão bem explicado no site delas que resolvi usá-lo como base e só ir contando como foi.


Esse encontro foi num café e conversamos sobre o que eu pretendia, quais as dúvidas; da parte delas, esclareceram como seria a consultoria. Me identifiquei muito com elas e marcamos de começar.  


O email chegou super rápido e os exercícios e questionário foram desafiadores. Me obrigaram a olhar para dentro e fazer escolhas, coisa que é muito difícil para uma libriana. Elas disseram que seria coisa de 30 minutos - mas eu fiquei umas duas horas para completar o questionário! Em compensação, tudo que pontuei ali foi muito verdadeiro e isso se mostrou importante para a definição do estilo.


Cerca de uma semana após o encontro inicial elas vieram aqui em casa. Fizeram análise de coloração, proporção e tipo corporal, e viram meu guarda-roupa. Falamos sobre o exercício que entreguei, o que elas viram de mais marcante e indicativo de um estilo próprio nas respostas, e conversamos bastante. Foi realmente produtivo, me senti acolhida, entendida, e acabei muito feliz com tudo que fui descobrindo com elas.


Nesta terceira reunião elas apresentaram o plano de estilo pronto, personalizadíssimo. Explicaram várias coisas sobre meu estilo ROCKER (que foi adicionado ao meu já conhecido DRAMÁTICO) e tiraram um monte de minhocas que eu tinha na cabeça [posso mesmo usar isto? não estou muito velha? e por aí afora].

Depois da conversa, veio o detox do guarda-roupa. Esse é um exercício físico, vá com disposição: praticamente tudo é experimentado para elas avaliarem se aquele item condiz com o estilo definido, se cai bem, etc.


Aqui você precisa estar com a mente setada para desapegar sem dramas. Confesso que algumas peças me fizeram duvidar que conseguiria mesmo doar (casacos de couro, por exemplo) mas, focando na ideia de eliminar o que não se harmoniza com meu estilo identificado, fica mais fácil.

No final do encontro havia uma pilha imensa de roupas para doação, uma baixinha para levar para fazer pequenos consertos (encurtar barra, ajustar) e o armário estava muito light. 


O dia das lojas! Elas escolheram irmos à R. Oscar Freire, o que foi muito divertido para mim, uma criatura de shoppings, totalmente indoors.
Lá, definiram três lojas excelentes para visitar e, quando cheguei, todas as peças que deveria experimentar já estavam separadas - esse lance personal stylist é muito legal!

A Carol e a Carlinha em momento algum falam que você "precisa" comprar tal peça. Na verdade, elas procuram mostrar opções de modelagem e cores diferentes do que já se tem no guarda-roupa, e peças que incrementariam seu estilo recém-definido. É uma experiência de aprendizado de compra, para você poder escolher sozinha depois.

Após visita a todas as lojas pré-selecionadas, nos sentamos em um café para discutir rapidamente, mas peça à peça, o que eu gostaria de levar para casa. Nesse momento elas indicaram quais seriam as melhores compras, inclusive destacando a relação custo x benefício dos itens mais caros. Nos despedimos nesse café e voltei sozinha às lojas para fechar as compras.
Para mim, que adoro roupas e compras, foi um dia esplêndido.

No dia seguinte, passada a adrenalina, fiquei me perguntando se eu realmente deveria ter comprado tanta roupa. Fiquei pensando que eu teria me saído melhor nas compras se tivesse recebido orientação do que exatamente estava faltando no meu armário, para focar nesses gaps.

 

Esta última parte do processo estava prevista para acontecer uma semana após o dia das lojas. No entanto, vários imprevistos (feriados, viagem, cursos e até doença) acabaram postergando a etapa final para um mês após as compras. Não haveria como ter previsto isso, foi um revés inesperado.

Infelizmente, essa demora me deixou muito tempo sozinha e, ansiosa como sou, me levou a pensar que ainda haveria muito a acrescentar para compor o estilo novo, o que acarretou uma busca online por peças. Foi um mês de compras online, devoluções, novas buscas, etc., que inchou meu guarda-roupa quase para como estava antes do detox. 

Quando as meninas vieram fazer os looks, encontraram um monte de roupa pendurada ainda com etiqueta. E me garantiram que precisar, não precisava de nada novo (isso eu precisava ter sabido ANTES do dia de compras) mas que pelo menos eu acertei nas escolhas, estava tudo de acordo com o que elas definiram para mim. Um pequeno consolo num mar de gastos 😢. Enfim, foi um infortúnio não termos podido fechar o ciclo todo em um mês.

Mas vamos aos 20 looks:
Elas ficaram sozinhas com o guarda-roupas para montar os looks. Quando me chamaram, o quarto estava com roupas cuidadosamente organizadas em cima da cama, de maneira que uma parte de baixo já estava se conectando com 2 ou 3 partes de cima, além de casacos.

Em seguida, exercício físico! Novamente experimentação, desta vez tirando foto depois de cada look. O mais incrível: elas fazem combinações de estampas, de materiais, de cores e acessórios, que eu não teria feito sozinha. Isso foi muito legal!!!


CONCLUSÃO
Fiquei muito satisfeita com a Consultoria. Não só me entendi melhor em termos de estilo, como recebi "autorização" para usar peças afins. Afinal, rocker é algo muito relacionado à juventude, e eu não queria ficar caricata ou inapropriada, e elas resolveram minhas questões quanto a isso.


Se recomendaria a Assinatura de Estilo para alguém? SIM, com certeza. Carlinha e Carol mostraram ser duas queridas e, acima de tudo, extremamente eficientes no que fazem. Fiquei triste quando o processo terminou, gostaria de continuar aprendendo com elas...

Saí da experiência pensando que muito provavelmente vou chamá-las novamente quando a temperatura mudar e tiver que montar looks de inverno, pois os looks que elas montam são demais. 😍

Conselho final: invista em você. Vale a pena

Consultoria de Estilo
Por um lado, um enorme ganho em autoestima e conhecimentos. Por outro, embarquei em gastos muito fora do razoável, e sem real necessidade.
Se recomendo? MUITO. Só tomem cuidado com a euforia pós definição de estilo, ela custa caro...

P.S. 1 mês depois: Nos dias de Consultoria, nas visitas e conversas com a Carlinha e Carol, saí dos encontros sempre muito animada e entusiasmada pelo processo. Elas são simpáticas, atenciosas, mostram uma nova face sua, a qual você estava procurando há tempos. Como não gostar?!?

Passado um mês, sinto que o ganho de conhecimento ficou ofuscado pelo enorme descarte de peças seguido por igual incremento de novas roupas, o que diariamente me deixa mal ao abrir o armário. A quantia absurda de $$$ dispendido nos dois processos foi traumatizante...

Por isso, recomendo a quem for contratar QUALQUER Consultoria: solicite definição exata do que está faltando no seu guarda-roupas para não errar nas compras. E não deixe que o processo todo dure mais que um mês corrido, para não perder o ritmo (e você se perder). 

Acredito que somente após fazer nova e completa arrumação, e selecionar poucas peças para ficarem no armário e muitas para serem guardadas em malas para uso futuro, eu volte a sentir o prazer que tive nos dias em que a Consultoria aconteceu. 

Por isso tudo, para 2018 instituí o "desafio um ano sem compras". Porque ficou muito claro para mim o quanto me incomoda comprar e armazenar mais do que preciso. 😕

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Em resumo:

Consultoria de Estilo
Por um lado, foi um enorme ganho em autoestima e conhecimentos. Por outro, embarquei em gastos muito fora do razoável, e sem real necessidade.
Se recomendo? MUITO. Só tomem cuidado com a euforia pós definição de estilo, ela custa caro...

Comentários

Postagens mais visitadas

Minimalismo por que?

Fui atraída pelo assunto Minimalismo após ler posts de moda que tratavam sobre consumo excessivo e ter ficado refletindo sobre a grande relevância desse assunto. Em seguida me empenhei na leitura de diversos blogs sobre o tema.
O interesse por algo diferente do seu cotidiano não acontece do nada: alguma coisa está mudando em você, ou lhe incomodando, criando a necessidade de transformação, de outro enfoque.
No meu caso, vejo agora, duas correntes complementares causaram isso: meu amor por organização + o desagrado com a maioria das compras de roupas que eu vinha fazendo.
O método da Marie Kondo ajudou a destralhar meu guarda-roupa e escritório. No entanto, ainda falta... Sinto que posso fazer melhor, que há mais a ser retirado das estantes. E a quantidade absurda de roupas que foi removida do armário, muitas delas sem uso, fez com que eu tivesse de encarar de frente que meus hábitos de consumo estavam equivocados [para falar o mínimo].
Ou seja: cansei de lutar para manter a organizaç…

Julho sem Desafio

De uma hora para outra me vi precisando muito de itens que não tinha, e os culpados disso são:
frio!!! Este ano o frio pegou mesmomudança de pesoreposição de lingerie e de camiseta para dormirmãe querendo iPad Depois de constatar o acima, e mesmo sendo as substituições liberadas do Desafio, achei melhor fazer uma pausa para resolver definitivamente tudo o que era preciso.


❄ O frio me pegou de surpresa, descobri que não tinha mais que uma malha de cashmere e as camisetas de manga longa eram fininhas, ou seja: não dava para sobreviver só com isso nesta temperatura baixa -- pelo menos não de uma forma fashion.
Esta época é conhecida pelo look cebola: tudo usado junto, roupa em cima de roupa, na tentativa de se agasalhar ao máximo. Não gosto desse método, muitas vezes as peças não combinam nada entre si e o resultado é, para dizer o mínimo, bem ruim.
Entendem o que digo?
Depois de malhas, outra substituição necessária: calças jeans. Emagreci um pouco e elas ficaram largas na cintura e sobra…

Dicas de presente para terceira idade - I

I- Para uma senhora idosa ativa

Pessoas mais idosas são difíceis de presentear pois os itens escolhidos têm que ser muito bem pensados para que não se tornem mais um estorvo dentro da casa ou do armário.
Vale aqui a mesma coisa que pensamos quando estamos procurando algo para alguém mais jovem: qual a rotina da pessoa? qual seu hobby? do que ela gosta mais?

Para as pessoas da terceira idade que mantém rotina agitada as opções são maiores. Sei disso porque meus pais têm quase 90 anos e são super ativos, viajam, lêem, assistem filmes. Sempre mais fácil presentear nesses casos. Com quem você tem intimidade estão liberados os itens de MODA como roupas, bolsas e sapatos. Aqui seguem ideias para presentear uma idosa ativa, porém não tão íntima para escolhermos os itens acima.


Colares
Adoro senhorinhas com muitos colares ou com peças bem coloridas. É uma época da vida em que você não tem que seguir moda, você FAZ sua moda.   Este acima seria perfeito para minha mãe, que gosta de cristais e br…

Destralhe digital e real

Que incrível que é mudar os parâmetros que nos acompanharam a vida inteira, não é? Ultimamente só consigo pensar em diminuir meus pertences, exatamente o contrário do que sempre fiz.


Em Maio eu estava aqui reclamando da dificuldade que estava enfrentando para deletar arquivos no computador. Update: O destralhe digital ainda está acontecendo, mas a passos de tartaruga...
São dias e dias focada em textos, em dígitos, sentindo que estou sempre na mesma: o que eu limpei ainda é muito pouco frente ao montante de arquivos.

E acho que foi isso que me fez acordar uma manhã animadíssima para destralhar objetos.
Coisas palpáveis são muito mais fáceis de limpar, e ainda se vê claramente o resultado (ao contrário do digital).


Comecei juntando todos os meus cosméticos e afins, que estavam distribuídos por 4 lugares diferentes (olha só que coisa mais errada! 😱). Sentei no chão com eles e todos passaram por uma inspeção minuciosa:
(i) validade definida pelo fabricante,
(ii) validade do produto dep…

Casa Mathilde em Moema

A sede da tradicional Casa Mathilde, doçaria portuguesa, fica próxima à estação São Bento, no Centro de São Paulo. Ocupando o endereço do antigo Fasano, é um lugar charmoso, com um balcão enorme cheio de opções de doces.

Ali as possibilidades vão muito além dos tradicionais Pastéis de Santa Clara/ Pastéis de Nata. São bolos, tortas e doces portugueses que não se encontram em nenhum outro lugar, e que competem pela nossa atenção.
A dificuldade é escolher. =D


Apesar de todos esses atributos, nem todo mundo tinha disposição de ir ao velho Centro em busca de seus doces. Mas agora, a boa notícia: a Casa Mathilde abriu uma filial na Avenida Ibirapuera, no bairro de Moema!

Av. Ibirapuera, 2082 (em frente à Igreja N° Sra. Aparecida, Jd de Moema)
Domingo a Quinta, das 9h às 20h. Sexta e Sábado, das 9h às 23h. 
Estacionamento na porta, com manobrista. 

Estive lá no domingo. É um espaço agradável, organizado, bem iluminado. Estava absolutamente lotado, com fila até para escolher um doce no balcã…