Desafio um ano sem compras

Quantas vezes já pensei sobre isso... a vontade de não comprar mais nada, porque tenho coisas demais, versus a manutenção desse hábito de olhar vitrines e adquirir coisas bonitas, comprar o belo pelo belo, mesmo que não seja necessário e nem sequer útil.

Li hoje um artigo muito bom sobre isso: My year of no shopping, de Ann Patchett, publicado no The New York Times. Dos inúmeros relatos lidos sobre desafios de x meses sem compras, esse foi o melhor: senti ponderação na autora, um pensamento claro e tranquilo, não foi uma decisão tomada levianamente.
"The unspoken question of shopping is “What do I need?”. What I needed was less."

Desde o final da Consultoria de Estilo, com a consciência de ter comprado muito mais do que deveria, estou encarando meu guarda-roupa com desconfiança e culpa. Muita coisa acumulada, várias peças ainda com etiquetas, questionamento da real necessidade de ter tantos itens.

O fato de não ter recebido uma orientação clara do que FALTAVA no meu armário ANTES de ir às compras foi a maior falha da Consultoria, no meu entender. Doei uma montanha de roupas para em seguida comprar outra montanha, diferente nas peças mas igualmente enorme no volume. E isso vem me chateando desde então, o que explica o interesse pelos desafios dos meses sem compras.

E nada melhor que uma virada de ano para nos incitar a criar um novo hábito, não é? E como "emagrecer" e "fazer ginástica" não contam, porque ninguém segue mesmo 😆, acredito que algo diferente como "ficar sem comprar" seja legal.

Aprendi nas leituras que várias regras têm que ser previamente ajustadas: Não pode comprar o que? O que pode? Qual o período do desafio? Vamos lá.

  • Período ideal de 12 meses, computados individualmente. Dessa forma, posso recalibrar a experiência conforme necessidade, e não arrisco perder todo o projeto por algum erro de principiante.
  • Não pode roupas, bolsas, calçados, maquiagem, produtos de beleza, decoração, bijoux, papelaria.
  • Pode cafés, chocolates, e-books (tentar ler antes os que já tenho), substituições necessárias, itens receitados, lingerie, paetês, eletrônicos e presentes.
  • Exceções: viagens. Irei à Miami em fevereiro, e lá não valerá o desafio, por motivos óbvios - tudo melhor que aqui e, ainda por cima, mais barato. Mas planejo maneirar. 🙏  - Ah! qualquer item Alexander McQueen também está liberado (porque eu não sou de ferro). 😁

E para iniciar 2018 com o pé direito, esta semana rolará uma super organização de guarda-roupa. Pretendo tirar TUDO e verificar item a item o que vai retornar para ser usado prioritariamente, e o que irá para malas de viagem para ser guardado até futura necessidade.
E aí sim, sabendo o que tenho e como posso usar, vou tentar tirar o máximo das minhas roupas novas e antigas, pois do jeito que está hoje não é possível [quanto mais coisas há no guarda-roupas, mais difícil fica se vestir].
Há alguém por aí interessado em embarcar no desafio?

Comentários