Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2018

Febre de paetês

Vocês lembram que excluí paetês da lista de Não-Comprar-em-2018?
O porque disso é que somente no final do ano passado me dei conta que paetês fazem super parte do meu estilo! E não querendo fechar essa porta recém descoberta, deixei-os liberados e agora sou a louca dos paetês 👻: comprei mais um na Joulik e vários no Enjoei.

Aprendi o truque para usá-los no dia a dia: desconstrução. Use junto com calça jeans (rasgada, de preferência) e camiseta, tirando o ar de "festa" que é fácil atribuir a eles.

Olha esta inspiração:


Que graça essa senhorinha usando uma camiseta que diz "Too glam to give a damn"! E totalmente segurando o look desse casaco ultra brilhante: o conjunto ficou o máximo!

Ela é uma das modelos da Joulik e é uma pena que ela só apareça na home page... Eu gostaria de ver mais looks com ela!


No site em questão tem um filminho de 1 minuto que mostra várias pessoas usando paetês em situações completamente urbanas. E eles incluíram outra chiquérrima senhora de…

Escolhendo ver o lado bom

Domingo à noite caí na garagem do prédio por conta de uma poça d'água. Torci feio o tornozelo; me levaram para o PS, voltei com uma daquelas botinhas que substituem gesso e com a recomendação de não pisar com o pé direito.
Desde então estou me locomovendo o mínimo possível, o que está sendo uma experiência diferente, para dizer o mínimo.
Acostumada a auxiliar todo mundo - como toda mãe está -, ter que pedir ajuda para me mover, buscar água, esquentar o jantar, etc., tem sido muito estranho. Minha reação está sendo dúbia: ora fico desesperada por não conseguir resolver sozinha, ora acho que vai ser bom ter finalmente tempo para organizar meu computador. 😂

Minha família tem sido fantástica, marido e filhos estão super solícitos, se mantém à disposição o tempo todo e têm me ajudado muito!
Às vezes a gente precisa de um susto assim para se dar conta do quanto é querida, não é verdade? 💖
Bom final de semana!

Desafio um ano sem compras - Jan/18

Surpreendentemente, está indo bem!

Notei que passei a ter mais leveza ao ler blogs e textos sobre moda - pelo simples motivo de que meu cérebro não está "julgando e escolhendo" as melhores peças, as que me interessariam comprar. Estou lendo, me informando, mas não ansiando por nada. Isso se mostrou ser muito libertador!


Ontem estive em um shopping para ir ao Starbucks. Não me julguem: na minha lista de Pode - Não Pode*, o primeiro item das exceções (dos liberados) é justamente CAFÉS. Adoro o Starbucks**, me traz lembranças ótimas das minhas viagens a NYC, não fico sem.


Porém, vi que é um teste ir a shopping e estar rodeada de tentações, não é o melhor ambiente para quem está fazendo um projeto de não-compras. No entanto, passei com louvor por tudo que se referia a roupas, sapatos e bijoux. Os olhos só brilharam quando me vi numa papelaria.

AMO papelarias, gosto de tudo: cadernetas, canetas diferentes, borrachas, post-it com desenhinhos, enfim... tudo mesmo. Entrei para procur…

Insônia

Pois é, logo eu, uma pessoa que nem sabia bem como havia deitado na cama pois imediatamente já estava dormindo, estou tendo episódios de insônia.


É horrível ficar num quarto escuro esquentando lençol sem conseguir descansar. Não imaginava o quanto...
Agora, depois de mais de duas horas rolando, levanto e volto para meu computador, onde leio, trabalho, escrevo - ou seja, faço tudo, menos ter uma boa noite de sono reparador.

Depois de prestar atenção ao que me impedia de dormir, ficou claro o motivo: ansiedade descontrolada.
[Coisa muito comum a quem tem depressão, fique atenta!].

Ao encostar a cabeça no travesseiro minha mente se agita e resolvedesfilar uma relação longuíssima com tudo que eu deveria ter dado conta naquele dia e não resolvi; ou ficar repassando diálogos, me repreendendo por ter usado a frase A ao invés da B; também é comum preparar listas mentais de supermercado, de assuntos para o blog, de coisas para comprar, etc.; fazer contas de até que horas vou ter que ficar na ca…

Destralhando 2018

Como é que a gente consegue juntar tanta coisa em uma casa? Para onde olho há excesso... itens que não interessam mais, objetos que se acumulam nos vãos dos armários e prateleiras e ali parece que crescem e se multiplicam.


E multiplicam mesmo! Porque uma coisinha fora do lugar dá permissão para todos relaxarem e irem largando mais e mais entulhinhos pelo caminho: "Vamos deixar aqui por enquanto"- e o resultado você já sabe: caos.

Agora, o que dizer daquelas peças que a gente nunca gostou e que continuam guardadas (ou pior: expostas 😱) nos incomodando com sua presença? Por que não doamos ou jogamos fora? O que nos impede de desapegar?


Creio que sei o que é: o velho receio "E se?".
E se eu sentir falta?
E se precisar um dia?
E se a tia que deu o vaso feio aparecer em casa e perguntar por ele?

Acredite: nada disso jamais acontecerá.
Estou numa campanha furiosa para destralhar e organizar objetos neste início de ano. Por enquanto só estou apanhando, mas pretendo perse…

Um início de ano inspirador

Nas últimas duas semanas os blogs estiveram extremamente inspiradores. Todo mundo falando sobre metas, sobre o que conseguiu em 2017, estratégias de organização para alcançar resultados concretos em 2018, e por aí afora.

Minha recomendação: abra seu Bloglovin' (ou as páginas de suas blogueiras preferidas) e procure os bons posts de 15/dez em diante, até 06/jan. Porque após essa data voltaram os textos sobre batons, a cantora da vez, quem usou o quê... Praticamente acabou a profundidade, o que é uma pena.


E antes que a mesmice nos engula, seguem (em nenhuma ordem específica) links de textos ótimos que nos empurram para a frente, dicas para fazermos nossa vida melhor e conseguirmos alcançar nossos objetivos.
Clique no título para ler:

7 promessas de ano novo que você deve fazer e cumprir - excelentes pontos que deveríamos lembrar sempre!

4 rituais para começar 2018 com o pé direito - porque é sempre bom colocar energia positiva na vida.

Que tal ficar de bem com a vida? - duas perguntas…

Apaixonadas por paetês

Como amante de brilhos só pude adorar a blogueira The Sequinist: ela transforma os paetês (sequin) em roupa de usar no dia a dia. Tem como não querê-la como BFF?

Por ocasião da Consultoria de Estilo (outubro/2017) comprei um casaqueto de paetês azul petróleo, uma camiseta preta com bordados pretos e ouro, uma meinha com paetês azuis e roxinhos.
Já usei? NÃO. Nada... Sempre acho difícil de combinar, ou muito chamativo para o que quer que seja que eu vá fazer na rua.
Minhas compras foram na Joulik - tudo bordado à mão, um primor. [Prepare o bol$$$o]  O casaco azul é um sonho de lindo.
Agora prevejo que meu engessamento para usar brilhos vai mudar.
Já encontrei uma inspiração prontinha de como estilizar o casaqueto de um jeito casual:
Com a Sequinist aprendi que até uma saia inteirinha de paetês brilhantes pode ser usada durante o dia. Fantástico! 😄 Olha ela sob o sol, de saia prata, numa boa!  Que saia ousada! Repararam no sapato, também de paetês? #desejei Para quebrar todo esse bril…

Essências para 2018

Hoje eu ia fazer um texto sério a respeito de protetores solares mas este wallpaper, que randomicamente apareceu no meu computador, me fez mudar de ideia.

Imagina uma penteadeira com frascos de perfumes com esses nomes:
AmorConfiança e FéVerdade InteriorAlegria, felicidadeAutoconfiança Paz Totalidade Acho que todas nós devemos nos perfumar com essas essências em 2018, e é isso que desejo hoje à vocês. 😘

Qual foi sua roupa da virada?

Bom dia!!!
Como vocês começaram o Ano?

Passei o Réveillon com minha família, tudo muito calmo e gostoso, em um restaurante bacana.

Em casa gostam de usar branco na virada do ano e a ideia inicial era acompanhá-los, mas não consegui. Fui Farmacêutica muitos anos, vestindo branco todo dia, não consigo mais gostar da cor.
E, depois de alguma hesitação, fui de verde militar 😍


Apesar da maioria das pessoas estar de branco, havia mais alguns em outras cores.
Não me importo em seguir tradições, e sou 100% cética quanto a superstições de qualquer tipo, por isso acabei indo bem feliz sem nem um pinguinho de branco no look. 

E nada como vestir o que você tem vontade, não é?
Para quebrar o verde, o sapato e a bolsa eram rosa meio nude - e essa bolsa é de plumas, olha que fofa.
*A regata de seda é da Fillity e a saia diferente (com ponta e dois cintos) é da UMA - Raquel Davidowicz, comprada da Farfetch.

E você, foi tradicional ou rebelde na passagem de Ano?

Carta aberta para 2018, por Ana Amorim

Olá 2018, também conhecido como Ano Novo. É estranho que você “nasça” para nós sem um nome, e seja identificado apenas por um número. Eu não gostaria de ser numerada no lugar de ser nominada, mas talvez você não se importe. Também, nem sei se você existe de fato ou se é apenas uma lenda urbana, feito Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e Fada dos Dentes. Ou melhor, uma lenda terrena. Pouco importa, vamos partir do princípio que você existe para quem acredita. Se eu acredito? Humm, não sei ao certo. Estou parecida com aquela criança que escreve uma carta pro Papai Noel e depois encontra debaixo da árvore o mesmo pacote que, dias atrás, viu escondido no armário dos pais. No dia 31 eu uso roupa branca nova, como lentilha, guardo na carteira as sementes de romã e uma folhinha de louro, se estiver na praia pulo as 7 ondas, mas… tenho lá minhas suspeitas. Essas histórias de tempo, calendário, ano velho e ano novo, parecem “contos da carochinha”. Mas tudo bem, não vamos nos prender…