Pular para o conteúdo principal

O retorno de um velho (e mau) hábito


Quando estava durante o "Desafio um ano sem compras" escrevi:
  • Nos shoppings, quando vejo algo que capta minha atenção, me distancio logo da vitrine ou racionalizo tentando lembrar o que eu teria de parecido em casa... e sempre acho algo!
  • Em se tratando de e-commerce, visito a Farfetch de vez em quando, até porque sinto necessidade de saber quais novidades estão surgindo, pensando sempre em material para posts. Nessas visitas vou abrindo abas no computador de itens que me interessaram para depois escrutinar melhor se dali sairá algum caldo. Então, abandono o micro por algum tempo e, quando retorno para visualizar novamente as peças, percebo que não são tão incríveis como havia pensado no início. 
  • Isso demonstra bem que não estou mais com a mesma cabeça de antes, que comprava instantaneamente o que via, que não resistia a ofertas ou peças bonitas.
Pois é, tive uma recaída feia. Este ano, num longo período de stress*, comprei muito - e de forma precipitada e irresponsável.
E veja só: as compras me traziam alívio mental somente enquanto eu pesquisava os produtos na internet ou buscava nas lojas, em processo de escolha (a terrível síndrome da caça ao tesouro). A partir da efetiva compra o interesse acabava. A ponto de, quando um pacote pedido online chegava em casa, eu nem me lembrava o que havia pedido e os produtos em si não me traziam qualquer emoção.

Até que parei, fiz contas, pensei sobre o caso e vi que já havia passado o ponto do aceitável. Resolvi acabar com esse comportamento deletério e parar o consumo.
 
Fiz o mesmo que já havia feito no Desafio: deletei apps de lojas, cancelei e-mails marketing de produtos, parei de ir a Shopping. A não-exposição a novos itens faz com que você nem pense neles e, por isso, não os deseje.
Voltei a ler sobre minimalismo para ter inspiração, o que foi ótimo. [O lado B dessa leitura é o sentimento de culpa por ter escorregado tão feio, além de uma boa dose de vergonha por ter abarrotado os armários...]
Se isso tudo está funcionando? Magnificamente bem. Desde 01 de julho que não compro uma peça sequer. E nem pretendo. E não está me fazendo falta nenhuma.

Moral da história: o caminho para uma vida equilibrada é cheio de imprevistos, avanços e retrocessos. Fácil não é, mas os bons hábitos também começam a se fortalecer com a repetição e os comportamentos antigos passam a ter cada vez menos força.
Voltei aos trilhos e espero persistir nesse caminho.

*E nesse período todo praticamente não postei :(

Postagens mais visitadas

Destralhe digital e real

Que incrível que é mudar os parâmetros que nos acompanharam a vida inteira, não é? Ultimamente só consigo pensar em diminuir meus pertences, exatamente o contrário do que sempre fiz.


Em Maio eu estava aqui reclamando da dificuldade que estava enfrentando para deletar arquivos no computador. Update: O destralhe digital ainda está acontecendo, mas a passos de tartaruga...
São dias e dias focada em textos, em dígitos, sentindo que estou sempre na mesma: o que eu limpei ainda é muito pouco frente ao montante de arquivos.

E acho que foi isso que me fez acordar uma manhã animadíssima para destralhar objetos.
Coisas palpáveis são muito mais fáceis de limpar, e ainda se vê claramente o resultado (ao contrário do digital).


Comecei juntando todos os meus cosméticos e afins, que estavam distribuídos por 4 lugares diferentes (olha só que coisa mais errada! 😱). Sentei no chão com eles e todos passaram por uma inspeção minuciosa:
(i) validade definida pelo fabricante,
(ii) validade do produto dep…

Dicas de presente para terceira idade - I

I- Para uma senhora idosa ativa

Pessoas mais idosas são difíceis de presentear pois os itens escolhidos têm que ser muito bem pensados para que não se tornem mais um estorvo dentro da casa ou do armário.
Vale aqui a mesma coisa que pensamos quando estamos procurando algo para alguém mais jovem: qual a rotina da pessoa? qual seu hobby? do que ela gosta mais?

Para as pessoas da terceira idade que mantém rotina agitada as opções são maiores. Sei disso porque meus pais têm quase 90 anos e são super ativos, viajam, lêem, assistem filmes. Sempre mais fácil presentear nesses casos. Com quem você tem intimidade estão liberados os itens de MODA como roupas, bolsas e sapatos. Aqui seguem ideias para presentear uma idosa ativa, porém não tão íntima para escolhermos os itens acima.


Colares
Adoro senhorinhas com muitos colares ou com peças bem coloridas. É uma época da vida em que você não tem que seguir moda, você FAZ sua moda.   Este acima seria perfeito para minha mãe, que gosta de cristais e br…

Desafio das 12 peças

Uma blogueira que gosto muito, Donna do I Don't Wear Sludge Brown, propôs um exercício muito legal, traduzido abaixo:

"Imagine que você perdeu todas suas roupas e tem que começar seu armário novamente. Terrível pensamento, eu sei.
Para efeito deste exercício, você ganhará um pacote inicial de 12 itens. Lingerie e meias são gratuitas.
Então, o que você vai escolher?
Vai comprar novas versões do que você já tinha? Ou você vai aproveitar a chance para se reinventar? Eu penso que a resposta a essas perguntas dizem muito sobre você. 


Se você disser sim para a primeira questão, certamente se sente confiante em seu estilo atual e gosta do que tem em seu armário.
Se for um não para a primeira pergunta, então... você ainda está buscando seu estilo? Você às vezes luta para conseguir colocar um outfit que lhe agrade? Você tem um guarda-roupas lotado, mas cada peça só combina com um ou dois outros itens? Você compra itens que não são práticos para seu estilo de vida? Aqui há chance de você ser…

As críticas feitas ao Método KonMari

Como em um mesmo dia li duas críticas ao método de destralhamento e organização de Marie Kondo, ficou claro que está havendo uma facção contrária à numerosa corrente que a aprova e admira.

Um post diz que o método KonMari não faz a pessoa se tornar minimalista. E a explicação é que se você opta por guardar o que faz seus olhos brilharem, pode guardar muito mais coisas além do que seria estritamente necessário e essencial para sua vida.
O outro[a foto acima é desse artigo] é ainda mais incisivo e seu link diz ser "anti-marie-kondo-joy-of-clutter". Neste caso, a autora defende não haver nada de errado em termos quartos cheios de relíquias e peças colecionáveis. E ironiza ao dizer que o processo proposto pela japonesa de se agradecer aos objetos antes de doá-los chegou a um nível acima na antropomorfização.

Não sou advogada contratada para defender a Kondo e seu método [risos], mas me senti impelida a escrever porque não concordo com nada disso acima.

Ambientes ou armários abar…

Tênis branco

Se vocês acompanham qualquer site ou blog de Moda já devem estar cansadas de saber que o tênis branco virou um hit. Ele está sendo usado com tudo: calças, saias, vestidos curtos ou longos, alfaiatarias, shorts, jeans, etc. Nesta imagem do blog Futilish se vê bem a versatilidade:

Como esse tênis é para ser calçado com aquela meia quase sem cano, baixíssima, ou sem meia alguma, acho que alguns modelos simplesmente não rolam. O All Star, por exemplo. Eu o acho lindo, mas ele acaba com os calcanhares!
Por isso achei interessante mostrar esta opção aqui:
Tênis Corello por R$220.
Lindinho e parece ser bem macio pois tem calcanhar e entorno do pé acolchoado. Além de ser um modelo bem feminino e totalmente street (ou seja, nada a ver com tênis específico para academia), o que é obrigatório para se fazer bonito nessa moda.
E aí, gostou? Já tem o seu?